“Se o BES não falir, falimos nós!”

LIXO TÓXICO | TOME AS DEVIDAS PRECAUÇÕES

Uma vez mais, depois de privatizados os lucros, o Estado e o Sistema Financeiro preparam-se para nacionalizar prejuízos. A família Espírito Santo confessa o crime e sai impune e com os bolsos cheios e ainda dizem que têm que ser os contribuintes a resolver o problema? Não, não vamos na cantiga.

FICAMOS NÓS PARA PAGAR A CONTA?

Não! Tomaremos as devidas precauções. É urgente alcançar a legitimidade revolucionária que permitirá a expropriação sem compensação, capaz de alterar a relação de poderes entre os que usam o sistema financeiro para roubar dentro da dita legalidade democrática. Chega de roubo. Não aceitamos que nacionalizem os prejuízos e privatizem os lucros.

Via página da Revista Rubra.

Palestina: do Rossio à Embaixada de Israel

10492420_10153025153630760_7424323779400730041_n

Fazia um ano do massacre imposto à Flotilha da Liberdade quando um dos mais vibrantes movimentos dos últimos anos aprovou por unanimidade esta declaração política e expressou o seu descontentamento à porta da Embaixada de Israel. Hoje, face à impunidade com que Israel castiga a Palestina, parece-me evidente que todos os actos contra instituições do genocídio não só são legítimos como são necessários. Há que isolar Israel como se isolou o III Reich, o Apartheid ou o massacre indonésio em Timor.

Se Israel confirma já é notícia

e49fab5083c1a11401265cc234d19096

“O soldado agora desaparecido é o sétimo da tripulação de um tanque, que foi alvejado no domingo. A tripulação era composta por sete militares, dos quais seis foram mortos e um sétimo desapareceu. (…) O Exército israelita considera mais preocupante serem capturados soldados seus do que serem mortos em combate.”

E eis que a realidade responde à questão que aqui tinha levantado. O que Israel diz não precisa de ser confirmado para ser notícia. O que a Palestina diz só quando Israel confirma é notícia. Estou esclarecida. Notável equidistância!