“Por vezes, já nem sei quem é de esquerda” por Guilherme Antunes *

Hillary ao lado de Saudi do criminoso Ministro dos Negócios Estrangeiros da Arábia Saudita, o Prince Saudi al-Faisal.

“Quero que os iranianos saibam que se eu for eleita presidente dos EUA, iremos atacar o Irão. Quero que eles entendam isso. Isto significa que eles têm de ter muito cuidado. Nós seremos capazes de os eliminar completamente” – Hillary Clinton.

A todos os patetas de esquerda ou aos ignorantes úteis do reformismo do abracinho inter-classista, o que está escrito acima é uma declaração (uma das muitas) em entrevista, da assassina Killary, que tem há muito na sua agenda “democrata” a destruição de mais um país, o morticínio de mais um povo.

Foda-se, que razões é que podem levar uma porca que bebe sangue, a querer destruir uma CIVILIZAÇÃO com cerca de 5 mil anos? Que compromisso intelectual terá consigo própria esta rastejante demente, para arrasar para sempre estruturas fundamentais do percurso mais culto da Humanidade?

Que a direita, que bi-elegeu a cavacal figura, guinche, apopléctica, que vem aí os russos (quais sejam eles) por causa da eleição do multi-milionário capitalista, percebo o desarranjo intestinal, mas o seu intelecto nunca exalou um odor que se destaque da bosta do boi almiscarado.

Que no seio da esquerda possa passar a ideia asnática e purulenta de que uma vitória da mortífera ex-secretária de Estado era preferível, apenas confirma a ideia de profundas deficiências ideológicas, mas pior do que isso, talvez, a necessidade de rever aspectos fundamentais de referencial humanístico, que são bandeiras inamovíveis da esquerda.

Atenham-se ao percurso político de um e de outro e não a preconceitos sentimentalmente pirosos, falsamente de género e, especialmente, de defesa da vida. É suposto, pelas suas declarações, que o oxigenado presidente não atacará a Rússia e a China. Sabemos de ciência certa que, pelo contrário, esse seria o cenário que Killary construiria logo que subisse ao posto mais alto do manicómio imperial.

*Texto publicado originalmente aqui, republicado no Obeissance com a sua autorização.

3 thoughts on ““Por vezes, já nem sei quem é de esquerda” por Guilherme Antunes *

  1. Essa alforreca com patas que é o Antunes continua a esconder, manipular e mentir para poder cuspir sobre tudo e todos. O que a gaja disse foi: “I want the Iranians to know that if I’m president, we will attack Iran. In the next 10 years, during which they might foolishly consider launching an attack on Israel, we would be able to totally obliterate them.” Ou seja, como resposta a um ataque a Israel.
    A Hilária é um traste; mas considerar sequer por um segundo que o Trump não é bem pior só pode ser alucinação de um demente. Por exemplo, esperem pelo retrocesso brutal nos compromissos de Paris para ver como elas nos mordem. A nós e ao resto do mundo.

    1. Claro, os compromissos de Paris é que são importantes. De resto, mais guerra menos guerra, mais cabeças cortadas, menos cabeças cortadas, isso agora não interessa nada…

  2. Um Trumpismo de esquerda? E não por causa do ataque a Hillary Clinton, por quem não sinto qualquer próximidade, mas no estilo. O conceito de trumpismo podia ficar associado a estas manifestações cheias de raiva e insulto por parte de alguns na rede que ficaria muito bem entregue.

Deixe o seu comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s