Os cravos de todas as cores são vermelhos em Abril


E não o são por questões do sempre assim foi. São-no porque não poderiam ter outra cor. Vermelho é cor que não existe onde não há vida e a vida não se dá onde não há revolução. Em Abril todas as flores são cravos, vermelhas ou não. Aos cravos não se lhes muda a cor só porque sim. É preciso que nos convençam que a nova cor é mais vermelha que o vermelho original. Até melhor explicação, até vermelhos são aqueles que não são. A liberdade é de todos os cravos. E os cravos são vermelhos não por opção, mas por necessidade de terem feito uma revolução.

(Apropriação a partir de fotografia de Elmer Batters – Maria do Povo esgana fascista com a cona que a mãe lhe deu!)

About JMGervásio

Sou pessoa alta, magra por criação, amante de velocípedes e de quase tudo que implique não fazer à segunda - quero dizer, sou do tipo espontâneo. Licenciado em altos estudos artísticos na ESBAP, tenho, desde lá, desenvolvido uma certa tendência para o comércio a retalho e agricultura de terraço. Possuo momentos de grande felicidade e civilidade que nem sempre são devidamente apreciados.

Deixe o seu comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s