Quer informar-se sobre a Palestina? Então é melhor começar por desligar a televisão.

1

Abjecto. A crueldade do proxenetismo, também na sua dimensão intelectual, não tem limites. Os duplos critérios do jornalismo serventuário também não.

Advertisements

2 thoughts on “Quer informar-se sobre a Palestina? Então é melhor começar por desligar a televisão.

  1. O uso da linguagem nunca é neutro, mas está sempre carregado de valores. Nos média o termo ‘abate’ usa-se tanto para cães e gatos como para… palestinianos. ‘Abate-se’ o que foi abandonado pelos valores socialmente dominantes, o que está ‘doente’, o que o grosso da sociedade despreza, o que não tem salvação social, o que está fora do âmbito dos direitos humanos. Abatem-se no canil 100 cães doentes ou que foram simplesmente abandonados e tornados supérfluos, abatem-se 100 árvores infectadas por alguma praga e abatem-se 100 palestinianos.

  2. O que é que tem de abjecto, seus merdas? Quem foi abatido foram terroristas que assassinaram vítimas israelitas. Devia-se deixar as ratazanas continuar a esfaquear e atropelar sem ninguém os impedirs. Merdas anti-semitas. Esquerdalho nojento!

    António Carlos Pinto Oliveira, o nome de quem escreveu isto.

Deixe o seu comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s