“Resistência”, por Carlos Marques

É o único caminho!

Advertisements

2 thoughts on ““Resistência”, por Carlos Marques

  1. Mas por que caralho haveria de ser “o único caminho”? Este pressuposto de que existe essa coisa de “o único caminho” (para a revolução ou para outra coisa qualquer) soa, já há uns bons milénios, a doutrina de seres iluminados pela revelação de um grande líder qualquer… Os milénios sucedem-se, transformando radicalmente tanta e tanta coisa nas nossas vidas, mas, vá-se lá saber porquê, conservam sempre a mesma passividade religiosa perante a mensagem redentora e inquestionável do grande salvador (Cristo, Lenin…), que trará finalmente o fim da história onde tudo será belo e perfeito para todos, como nunca foi.

    A vantagem de se ser um iluminado é que se tem na ponta da língua a resposta para tudo (pelo menos para as grandes questões). A resposta do iluminado nasce mesmo antes de se iniciar qualquer debate, independentemente dos pontos de vista em confronto e dos argumentos que os sustentam. Ela é um dado a priori. Logo, ela dispensa os debates, as críticas e as auto-críticas, os diálogos. Ela é o oposto da dialética. E isso explica que ela não muda com o passar da história. Ainda que a história mude constantemente… mesmo que o iluminado nunca disso se aperceba.

    No fundo, no fundo, todos temos alguma inveja dos iluminados. E este comentário, que já vai um pouco longo, até poderá ser disso sintoma.

    1. Olá PDuarte,

      Creio nunca ter escrito aqui que só há um caminho para a Revolução, mas sim que a Revolução é o único caminho. E isso não abdico de dizer. A Revolução socialista, isto é, o derrube violento da ordem burguesa é o único caminho. Afirmar o contrário, ou não afirmar nada, seria ignorar 200 anos de história. Nenhuma área do conhecimento se dá a esse luxo, muito menos aquela que quer transformar a realidade.

      E se escrevo aqui é para provocar debate. Através do debate, do estudo e da prática, descobrimos a verdade. E marxismo-leninismo não são as opiniões de Marx, Engels e Lénine – tudo o que escreveram tem de passar pelo teste da realidade.

      Eu não sou dogmático por ter uma opinião. Nem é anti-dialéctico ter uma opinião. Eu sou da opinião de que para a superação do capitalismo não bastam reformas, é necessária uma revolução. E sobre esta questão a história teima em dar razão aos três. Não é verdade porque o disseram, mas é verdade.

      Sobre tudo o resto que Lénine ou mesmo Cristo tenham escrito, vamos ao debate..

      Abraços

Deixe o seu comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s