“I guess i’m anti-marriage”

O “It Ain’t Me Babe”, da Joan Baez (e também do Dylan), é uma canção de protesto contra o casamento, na primeira geração de gente que se rebelou contra essa instituição. Paradoxalmente, ou talvez não, a assistir ao seu concerto, esta noite, no Coliseu de Lisboa, ainda estará uma maioria de gente que apesar de ter crescido a cantarolar este e outros manifestos, fez da vida precisamente o contrário, seja nas ruas (ou nos parlamentos), seja na cama (ou no altar). Meio século depois de ter sido escrita esta parece ser a única revolução ao alcance na era em que todas as outras acabaram derrotadas. O amor em liberdade, ao contrário da revolução, tem no terreno todas as condições objectivas e subjectivas para a sua concretização e um par de gerações depois ele é cada vez mais o caminho escolhido para quem não quer ver a sua intimidade mediada por um contrato ilegítimo, reaccionário porque policiado quer pelos próprios quer pela sociedade, e contra-natural porque leva as pessoas a prometerem aquilo que não sabem se podem ou querem cumprir, que conspira na sombra contra o autêntico como a contra-revolução conspira contra toda e qualquer aproximação ao socialismo. O casamento, qual 25 de Novembro, qual Assembleia Constituinte, qual reforma Barreto, qual entrada na União Europeia, qual criação do Euro, qual pacote de leis anti-terroristas, é o principal inimigo do amor.

“Go ‘way from my window,
Leave at your own chosen speed.
I’m not the one you want, babe,
I’m not the one you need.
You say you’re lookin’ for someone
Who’s never weak but always strong,
To protect you an’ defend you
Whether you are right or wrong,
Someone to open each and every door,
But it ain’t me, babe,
No, no, no, it ain’t me, babe,
It ain’t me you’re lookin’ for, babe.

Go lightly from the ledge, babe,
Go lightly from the ground.
I’m not the one you want, babe,
I will only let you down.
You say you’re lookin’ for someone
Who will promise never to part,
Someone to close his eyes for you,
Someone to close his heart,
Someone who will die for you an’ more,
But it ain’t me, babe,
No, no, no, it ain’t me, babe,
It ain’t me you’re lookin’ for, babe.

Go melt back into the night, babe,
Everything inside is made of stone.
There’s nothing in here moving
An’ anyway I’m not alone.
You say you’re looking for someone
Who’ll pick you up every time you fall,
To gather flowers constantly
An’ to come every time you call,
A lover for your life an’ nothing more,
But it ain’t me, babe,
No, no, no, it ain’t me, babe,
It ain’t me you’re lookin’ for, babe.”

Anúncios

Deixe o seu comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s