“IMPROVING LIFE”?!!? – Depois das denúncias a SONAE lança um panfleto dirigido aos trabalhadores do Modelo e do Continente, limitando a liberdade de expressão e apelando à delação

1 2 34

Primeiro o Continente começou por negar as graves acusações de uma funcionária, cuja denúncia viralizou nas redes sociais mas estranhamente nunca chegou à imprensa. Apagou o que havia comentado. Depois, sem nunca referir nem justificar as acusações, limitou-se a dizer que não faria comentários por ter enviado as denúncias para as “autoridades competentes”. Por fim, já pela mão da Sonae, anunciou que passará a pagar 15 euros a mais do que o valor definido pelo salário mínimo.

Agora, qual cereja no topo do bolo, fomos novamente confrontados com denúncias de abuso e violações dos direitos mais elementares dos trabalhadores do Modelo e do Continente, desta feita que visam limitar a liberdade de expressão de todos os que para si trabalhem. Sob o aparentemente inócuo lema “usa adequadamente as redes sociais”, os trabalhadores do Modelo e do Continente (a informação que temos é que os trabalhadores de ambas as superfícies comerciais foram presenteados) são instados ao “discernimento e bom senso”, que nada sobre a empresa deve ser publicado pelo que “o que colocares nas redes que possa causar danos à reputação da Sonae é da tua responsabilidade” e à bufaria, apelando a que “deves ser um observador atento” e que se detectares que “os comentários põem em causa a reputação da empresa, dá conhecimento à tua chefia”. A voz, a palavra, os direitos, devem dar lugar ao silêncio e depois de “reportares as situações aos representantes oficiais”, deves “deixar os especialistas em comunicação responder”. No meio das ameaças tecem considerações sobre o poder das redes sociais e a sua perigosidade e longevidade, tudo num moderno e democrático grafismo, a fazer lembrar os panfletos de segurança no trabalho. Um nojo que, segundo os trabalhadores que nos contactaram, começaram a circular depois da massificação das denúncias.

Já se sabe que nenhum jornal arrisca perder a publicidade que tem avençada com a Sonae, o que impede qualquer jornalista que não queira perder o emprego a investigar o assunto, mas não haverá ninguém no Parlamento capaz de mover as forças necessárias para que a Sonae seja investigada e, confirmadas as acusações, responda pelos crimes que tem cometido?

62 thoughts on ““IMPROVING LIFE”?!!? – Depois das denúncias a SONAE lança um panfleto dirigido aos trabalhadores do Modelo e do Continente, limitando a liberdade de expressão e apelando à delação

  1. tal e qual o que escreveram do salados, das horas extraordinarias, de tudo sobre o continente, posso afirmar que a worten tambem da sonae é esatamente a mesma situaçao!

      1. E pela forma como o ou a “Pois Claro” comentou, percebe-se que o seu nível de respeito pelas falhas de alguém é muito baixo. Sobretudo quando esse alguém denúncia uma injustiça. Mas claro, há repostas naturais de reacção e outras “a-normais” de falta de compreensão.

      2. Antes dar erros ortograficos, do que ser insensivel e desumano, como o sra. ou a sra. Dr (a). que faz este comentário.
        So alguém parvo é que fica atento e se fixa no que Sua Exª comentou e não no objectivo do comentário, enfim…..

    1. É geral da lojas pertencentes a Sonae, represálias as gravidas, trabalho não remunerado, contratos de trabalho duvidosos e de ate da alteração no registo de horas interno para acertos de conveniência simplesmente uma empresa tipo polvo como muitas neste pais de treta

  2. Incrível… Isto dá muito mais vontade de continuar a escrever e a denunciar estas gigantes empresas destruidoras dos produtores e dos direitos do trabalho.
    Porque não esqueçamos uma coisa, as denúncias dos funcionários começam a sair agora do armário (nunca é tarde), mas falta a denúncia dos produtores, a quem a Sonae compra, ou “empresta” a superfície para que os produtos cheguem aos consumidores.
    A estratégia de enriquecimento destas grandes superfícies é tão horrivel, que não sei como continua a ser permitida.
    Fale-se disso. É urgente unir as pessoas para que se reconquistem os direitos básicos da vida em sociedade, ou que se destrua quem não reconhece nesses direitos a dignidade necessária para se viver.

      1. Luísa e Mário Esteves: Mas o que é que querem, o capitalismo, para o qual talvez tenham votado, é isto mesmo: a exploração do homem pelo homem. Se calhar queriam que esta gente se comportasse como se não fossem capitalistas, logo exploradores. São sempre os pobres que os tornam ricos.

    1. Concordo Luisa, não podemos aceitar empresas que crescem aqui e ali dominando e explorando o mais fraco, querendo conquistar o mundo, tomando domínio do rico sobre o pobre.
      Acredite isso vai ter um fim…

    2. Há muito que venho tentado fazer ver a amigos e conhecidos as questões que se colocam, em relação a uma campanha que dura há já alguns anos, levada a cabo pelo Continente e que parece ninguém perceber: o DESCONTO EM CARTÃO!
      Exemplo :a CAMPANHA do DESCONTO EM CARTÃO.
      Há cerca de dois anos precisei de comprar uma panela de pressão.O Continente tinha, na altura uma panela de pressão que divulgava em grande letras, assim como outros artigos, a cerca de 70 e tal euros, com DESCONTO DE 50% em cartão.Raciocinado bem, quem é a EMPRESA PRIVADA que OFERECE (de graça, portanto) 50% do valor de um artigo!!?? NENHUMA!

      Fui pesquisar na internet “panelas de pressão, e encontrei várias empresas que operam on-line a vender boas panelas de pressão, cuja apresentação em grande plano e por vezes em 3 dimensões, com a descrição minuciosa do artigo, telefones de contacto e morada, me agradaram e inspiraram confiança.Escolhi uma, cujo valor ficou 40% mais barata do que que o Continente oferecia e com os portes e a modalidade de entrega ao domicílio, fique muito bem servida.Sempre com a possibilidade de devolução, em caso de insatisfação, ou troca.
      Agora observem estes pontos:
      1 – A referida panela que o Continente vendia, era um modelo que ía ficar fora do circuito comercial, com as devidas consequências: falta de peças de substituição.
      2 – Sempre que estamos a comprar seja o que for ao Continente que “vá para o cartão” ( 25, 30, 35, 40 e até 50% – um escândalo!), o cidadão/consumidor, está a depositar na conta do Continente, do seu bolso e de graça, uma quantia que rende a esta empresa, dinheiro em juros.Multipliquem as centenas de artigos que assim são comprados, diariamente, por milhares de cidadãos que, a maior parte das vezes não têm possibilidade de ir no dia seguinte reaver aquela quantia que fica no cartão.Milhares de cidadãos a fazer isto : DEPOSITAR DE AVANÇO O SEU PRÓPRIO DINHEIRO.
      3 – Imaginam quanto ganha o Continente com o dinheiro que vocês EMPRESTAM DE GRAÇA a esta empresa??

      CREIO QUE POUCAS PESSOAS PENSAM SOBRE ISTO….

      Naturalmente que temos de aprender a identificar as boas empresas que operam on-line ( que vendem SEMPRE mais barato),e temos de nos habituar a ser consumidores conscientes, isto é : não sermos consumistas, não comprar por impulso (só porque “parece barato”, e sobretudo manter o nosso dinheiro que nos custa tanto a ganhar, a SALVO DESTES MONSTROS DEVORADORES, que apenas aproveitam a FALTA DE CONSCIÊNCIA DO CONSUMIDOR.

      Esta tema promete.

    3. Mas não pensem que isso so acontece na Sonae em todos os hipers passa se a mesma coisa e cada vez pior ,sabiam que agora somos obrigados a trabalhar mais horas e essas horas vão para um banco de horas e so se podem gozar quando e se o patrão puder?

      1. e é se o banco de horas….não desaparecer. Sei de muito casos em que as horas, levaram um sumiço….e provas, em como as fizemos???????

    4. tem toda razao amiga mas como o povo so gosta de novelas e paneleirices nao ha uniao eu me recordo de uma entidade patronal numa reuniao de comissao de trabalhadores e patronais disse que se a classe trabalhadora fosse unida a entidade patronal naonegava………………

  3. Triste mas é verdade. Na loja onde trabalho o tema é tratado com muito cuidado, principalmente nas palavras usadas, porém a mensagem escondida nas “palavras bonitas” é bastante clara para aqueles que sofrem este regime diariamente…”…Não se metam com a sonae se não querem ter problemas e ficar sem emprego…..”. Está na hora de acabar com estes regimes, usados pelas grande empresas, para conseguirem lucros astronomicos. Aproveito também para informar que sempre que há uma troca de horario de um funcionario, a folha de requisição dessa mesma alteração, está formatada para que se registe a troca como ” a pedido do colaborador”, quando este, talvez em 99% das vezes, até se opõem a essa mesma troca.

    1. Ainda bem que denuncia mais um abuso, Sr. Dias.Isso faz-me lembrar os consentimentos que temos de fazer quando vamos fazer uma cirurgia, onde praticamente assinamos e concordamos que o médico se isenta de responsabilidades, em caso de determinadas falhas na cirurgia.No fim, se formos a ver, a redacção desse texto está feira de tal modo que, mesmo a negligência (por vezes difícil de provar), fica contemplada no nosso consentimento.
      Mais uma vez, se vê que a sociedade portuguesa tem muito pouca consciência dos seus direitos e dificuldade em se organizar, de forma a fazer valê-los.

    2. Boa noite venho por este meio afirmar o que escreveu aqui…e não só as trocas como as horas para saco azul como lhe chamam e na verdade prova das horas os contratos feitos a última e mtas vezes trabalhamos sem contrato.ontem entrei as nove da manhã na loja nova que vai abrir em Lisboa alameda areeiro hora de entrada tive saída infelizmente o chefe que está responsável diz e para acabar pois a loja tem de abrir sexta feira só fiz uma pausa para comer entre as 13/13:30 sai a uma da manhã o chefe Emanuel este nem apareceu nem telefonou enfim escravidão mas acabo por aceitar e ir calando pelos meus 2 60euros mensais e o valor que recebo de regime para ti me e estes afirmam me que não poderei passar a oito horas porque não a vagas.enfim o facto de o dia de troca de preços pimba calha sempre ao mesmo em vez de sair às 22 da noite saio as 2 e 3 da manha e no dia seguinte lá to pronto e sem poder reclamar…ver chefes a oferecer aos clientes produtos inactivos em.loja produtos esses que já os vejo inactivos a meses e despedem funcionários por levar frango à noite que ia para o lixo.

      1. Isto é que é sofrer!!
        Sabem o que é ganhar €260,00/mês por 8h de trabalho que muitas vezes se transformam em 10h,12h?Ser despedido por levar galinhas fora de prazo de validade para casa, quando se oferecem aos clientes “Presentes” caros!!??
        Leiam “Lobéissance est morte” (comentários em baixo, depois deste mail)
        Assinem a News Letter e saberão o que é escravatura em pleno século XXI, dentro da Europa….dentro de nossa “casa”!!
        Sim os Funcionários Públicos são muito priveligiados e deviam estar mais atentos à restante grande maioria que há tantos anos e cada vez mais vive miseravelmente.Não que os direitos que tenham não sejam justos, mas quando reclamam em manter uma série de regalias que oneram o povo inteiro, parem para pensar que…..têm sorte! …..muita sorte…..
        Partilham mais, financeiramente falando, a boa sorte que têm com quem vive mal: um dever cívico, moral, social e espiritual…
        Abraços

        Bató 🌹
        P.S. 1: Uma dia, recentemente, pedi na Loja LIDL se podia levar as folhas de couve (um grande monte) que foram separadas do ramo original e estavam numa caixa de cartão) a uma funcionária da loja.Achava que podia aproveitar algumas delas e outras daria à minha vizinha para as suas galinhas, o que faço sempre que tenho sobras de legumes, depois de os preparar.Esta vizinha, por vezes oferece-me ovos.Resposta dela, muito educada, mas triste : ” – Não, não podemos dar nada! Nem nós podemos levar nada para casa…..vai tudo para o lixo e se somos apanhados, ficamos em maus lençois…pode dar despedimento!……”
        Confirmo por este desabafo de uma funcionária da SONAE que vos envio (em baixo), que é verdade o que por aí se diz……não há exagero por parte dos funcionários destas grandes superfícies……
        P.S. 2 : Sim, nunca, ou quase nunca pude descontar para a Seg. Social pois os meus salários andavam na média do salário mínimo(abaixo dos € 500,00, ou este valor) com grande carga horária (muitas vezes cheguei a fazer 16h!) e ……..os patrões não queriam assinar o papel verde com a sua parte de descontos.Em resultado disso, era praticamente impossível fazer os meus descontos e o desconto da entidade patronal, do meu bolso, até porque, a grande questão é que a entidade patronal não quer ver a sua assinatura a responsabiliza-lo em caso de doença, nem em caso de acidente de trabalho.O cidadão comum não tem ADSE!Não tem capacidade para pagar um Seguro de Saúde nem de Acidentes de Trabalho…..Sabem o que isto é??!!Por dois acidentes de trabalho (rotura da fáscia plantar por carregar excesso de compras a pé para casas de trabalho, e entorse no mesmo pé passados seis meses, por idosa de 93Kg me cair em cima) fiquei sem trabalho, sem salário e ZERO protecção!!A andar mal e com muitas dores, rumei para a Suiça e depois Inglaterra, o que me permitiu, com os bons salários auferidos, procurar os tratamentos e medicamentos que ajudassem a sarar estes danos sérios.Ultasons (aparelho que custou cerca de € 200,00) e já emprestei a outras pessoas; Tens machine ( electro-estimulação: aparelho que custou cerca de € 80 e tal euros, já emprestei à Paula) e Colagénio, que para ser mais barato mandava vir 3 caixas (€ 78,00) de França, pois em 2009, ainda não havia nada disto em Portugal.Foi a intensa pesquisa na internet e vontade de ficar boa para poder trabalhar, pois nunca tive nenhuma espécie de protecção.Não me queixo.Tenho FORÇA de VONTADE e Consciência de que tenho de SER EU a vencer AS MINHA DIFICULDADES SEM SOBRECARREGAR NINGUÉM.Claro que acabei enganando um pouco a minha boa Mrs. Stapleton (idosa em Inglaterra) que julgava que eu ía passear o Ossein por uma hora, mas, depois de tentar isto na primeira semana, vi que era impossível aguentar os passeio com o cão, e passei a ir para a beira do rio com ele e ficava deitada a direito num banco longo de madeira, à beira rio…..era maravilhoso…. e o Ossein adorava andar sem trela por alí….Em cerca de 3 mêses comecei a ficar melhor das duas dores intensas que tinha, e em seis mêses fiquei boa (sempre a trabalhar, sem “baixas pagas”! Mas era preciso MONEY!! Como eu, há milhares de pessoas com estas dificuldades: ZERO protecção no trabalho, baixos salários, sem contratos e……quando problemas de saúde surgem, as coisas ficam mesmo feias para estas pessoas……que são em número cada vez maior.A factura acaba por ir parar aos bolsos de todos os contribuintes: as prestações sociais estão a aumentar e a Seg. Social a rebentar pelas costuras.Um sistema mal implementado.Na Suiça, a vigilância à entidade empregadora é extremamente apertada e as multas elevadíssimas para quem tenta não pagar aos seus trabalhadores os seus direitos.Estes sabem disso e sabem que as suas queixas têm resultados imediatos, pois não existe a corrupção que existe no nosso país.Enfim…..teria muito mais para vos dizer sobre as minhas aventuras com pessoas com quem me cruzo (Farmácia, etc.) e que comentam sobre os seus direitos e em como estes direitos estão a ser ameaçados por pessoas como eu sobrecarregando-lhes a vida com impostos, etc., etc…….acabo ficando amigas de todas, depois de algumas prosas……todos acabam por entender porque se chega a esta situação e percebem que não são pessoas como eu que estão a roubar os contribuintes……também fomos roubados uma vida inteira de trabalhos mal remunerados e sem protecção, por negligência séria do Estado! 😊 O Patrão dos Funcionários Públicos……é o ESTADO.Um excelente Patrão, mas para quem é funcionário Público…..Até ver!….😌
        Beijos
        vossa
        Bató

        Proteja o PLANETA mudando de hábitos Proteja o planeta e a VIDA, mudando a sua maneira de ver o MUNDO Pense nos ANIMAIS como seus ancestrais parentes e amigos….
        “A grandeza de uma nação e o seu progresso moral podem ser julgados pela maneira como os animais são tratados” Mohandas Karamchand Ghandi

        Date: Thu, 28 Jul 2016 14:53:26 +0000
        To: mvmcampos@hotmail.com

      2. sim….confirmo, na sonae vai tudo para o lixo….e aí daquele que leve alguma “quebra”para casa…..COMERCIO TRADICIONAL….e fechem as grandes superficies……

  4. oH PÁ!Auguentem que o Público,não tarda nada,nadinha mesmo,vai meter um jornalista a trabalhar pró contnente e vai desvendar o reino da democracia de mercado.

    Era a brincar!

    Agora,para os órgãos da nação:Esta merda não é anti Constitucional?,seus cabrões(a maioria)?

  5. Desculpem, mas não me parece assim tão mal! A empresa tem toda a legitimidade para exigir que os funcionários não se cadastrem com o email profissional em redes socias, que não utilizem as mesmas durante o horário de trabalho. Eu também trabalhei na Sonae de 1996 a 2001 e as coisas que a senhora relata nunca me aconteram e na altura ganhava-se muito bem.
    No entanto acho muito bem que sempre que os funcionários se sintam de alguma forma penalizados nos seus direitos, reclamem mas preferencialmente em sitios onde os possam ajudar, tribunal de trabalho…. Não vejo onde o Facebook, possa ser util.
    Para além disso, existem empresas onde no próprio contrato de trabalho explicita a proibição da utilização do nome da empresa em sites, redes sociais, durante a validade do trabalho e até x tempo depois e concordando ou não, é legal e o incumprimento leva ao despedimento com justa causa. Não concordam, eu compreendo, não assinam o contrato.

    1. Não sei qual era a sua posição na Sonae na altura, e quando eu comecei a trabalhar na Sonae também recebia acima da média. Mas isso era porque fazia noites e fins-de-semana. Quem só fazia part-time de manhã ganhava bastante menos. E não me parece que o problema seja que as pessoas se cadastrem com o e-mail da empresa nem que acedam ao facebook durante o horário de trabalho, já que a maioria dos funcionários das lojas nem acesso tem a um computador durante esse mesmo horário (eu pelo menos nunca vi na caixa do supermercado um computador…). O problema é que durante a sua utilização pessoal, no seu tempo privado, a empresa quer controlar o que as pessoas dizem e/ou escrevem, e isso não é legal. Quanto à possibilidade de isso constar do contrato de trabalho, isso não o torna legal. Quando você redige um contrato você pode lá escrever o que quiser, e, mesmo que a outra parte o assine, se não for legal o contrato é inválido. Mas como a maioria das pessoas não sabe disto, pensam que como assinaram têm que cumprir, e no caso de empresas grandes ninguém pensa que os contratos podem ter elementos que não sejam legais, e aceitam como verdade o que lhes é dito.

      1. Bom esclarecimento, cara Sara.As pessoas precisam de saber destas questões importantes!
        Divulguemos, portanto, tudo o que for relevante em relação a ilegalidades e a direitos das partes.
        E sim concordo que se façam denúncias via Facebook, uma vez que esta ferramenta (rede social) tem um impacto muito importante na divulgação de problemas graves que se passam na nossa sociedade.Esta denúncia, é um exemplo vivo disso: informou a sociedade em geral, pôs as pessoas a discutir um assunto importante em REDE, sem medo, pois a SONAE não tem capacidade de destruir toda a gente.Não ter medo, é fundamental.Discutir de forma civilizada, também, Não deixar morrer os assuntos, é importante.
        O ACTIVISMO DE SOFÁ, tem muito mais força do que imaginamos.É a NOSSA FORÇA!!

      2. sim Sara, lá por ser ilegal o que eles “colocam” em contracto, não invalida que se fique ANOS há espera que se resolvam estes problemas, e depois….compra-se uma guerra com eles que é a mesma coisa dizer, que não ganhamos NUNCA. A justiça não é para pobres.

  6. Acredito que seja verdade, porque um dia falei com um fornecedor que me afirmou que essa empresa promove uma “política de terra queimada”, ou seja explora até ao limite os seus colaboradores, num registo de exigências que não são compatíveis com os pagamentos e os prazos dos mesmos e quando esta deixa de cumprir por efetiva falta de capacidade, motivada pela apertada redoma contratual e pela consciente pressão empresarial, pura e simplesmente abandona essa empresa e parte para outra praticando a mesma técnica.
    Basta reparar nos seus produtos transformados, de Marca própria, para denotar a elevada falta de qualidade, na medida em que nenhuma empresa consegue produzir qualidade com margens tão apertadas ou inexistentes…

    1. Os produtos de marca branca do CONTINENTE, são de péssima qualidade!
      Ainda que tenhamos muitas dificuldades financeiras, existem outras superfícies que oferecem pelo mesmo preço – e por vezes ligeiramente mais barato – produtos de melhor qualidade.Investiguem.Tomem consciência. Guardem o vosso dinheiro, pelo menos…..dar de ganhar ao Continente!?….Impensado!
      Comprem apenas o que realmente está barato e SEM DESCONTO EM CARTÃO!

  7. O problema deste país é que poucos falam do que realmente se passa. Trabalhei na Ibersol e acreditem que têm muitas semelhanças com o Continente. E deve haver por aí muitas mais.

  8. Fosse só a Sonae nestas condições e o Grupo Auchan também para lá caminha. Faço trabalho de part-time diariamente faço 4 horas como fossem oito horas. Se fizermos mais uma hora de trabalho é pago como menos uma hora de trabalho no dia seguinte! É assim que Portugal está- Ate deviam ter vergonha na cara.

  9. Nao é so no grupo sonae….é em todo o grupo comercial. Todas as grandes empresas de comercio, como nao ha trabalho noutros ramos,eles abusam dos empregados que teem.

  10. Pensei que já não existisse a PIDE mas pelos vistos enganei-me redondamente,agora querem censurar o que as pessoas dizem ou fazem? Liberdade de expressão diz-vos alguma coisa? Trabalho na Sonae e essa tratamento é dado a todas as insígnias e no meu contrato de trabalho não existe nenhuma clausula que me impeça de dizer o que eu quiser e bem entender,qualquer dia vão proibir as pessoas que numa conversa com um cliente se queixar não?

  11. UIUI 15 euros a mais do salário mínimo, watch out!…

    Contando que o salário mínimo em portugal devia era estar nos 700+ e não nos míseros 500 já que com os descontos todos, em media mal chega para pagar um aluguer duma casa, nem sei como raios uma pessoa vive com isso, mal chega para sobreviver… Raios uma pessoa ganhava isso quando era puto e emigrei no 2000 ( ganhava-se 80-100 contos por trabalhos que são hoje pagos salário mínimo, no entanto os salários noutros países da Europa duplicaram nestes últimos 15 anos)…

    Os custo de vida em portugal não é assim tao baixo como muitos pensam (acham que la fora é ainda pior), mas por acaso é muito parecido ao de de alguns países com salários médios bem acima ao dos portugueses… Eu estive em Itália (que não tem propriamente um salário mínimo e que também esta em “crise”), enquanto algumas coisas eram mais caras, em geral, os custos são muito parecidos (raios, sair a noite la custava-me menos, uma pizza Margarida era só 2-3€ no restaurante, em portugal as pizzas são absurdamente caras)… No fim o que gastei em media por mês em Itália era pouco mais o que gasto cá em portugal mas relativamente pareceu-me mais barato porque uma pessoa no fim ganha o dobro pelo mesmo trabalho, amigos meus la ganham acima dos 1000€ mês num supermercado ou outros trabalhos considerados de “salário mínimo”.

    Se não fosse pelo facto que sou programador e não vivo com um mísero “salário baixo á portuguesa”, provavelmente já tinha emigrado deste pais amaldiçoado.

  12. ora vá, para dizer que os emails internos não dão para usar em redes sociais… a rede interna das lojas não permite a recepção de mails das redes sociais, muitos menos de emails privados com anexos(por exemplo)… tenho para mim, que isso é so a grande desculpa velada para pressionar os operadores a seguirem o trilho que a empresa quer…

  13. Contratos do grupo SONAE, é para rir já ou é para rir sempre? Contratos completamente atípicos, com uma inclinação só para um lado, sim, assina quem quiser, por isso não assino nada em que tenha que poisar os meus pés numa cadeira e que fique pendurado com uma corda ao pescoço, é só tirarem a cadeira para resolver o problema deles… Magnifico correr qualquer risco sem ter que se aborrecer com tribunais e indemnizações, quem não cumprir é só chamar um coxo para dar uma biqueirada na cadeira, pronto já foste, ou já eras. Sem falar de todas as garantias exigidas. Para esclarecer o que é um contrato atípico, é um contrato que só beneficia quem o redige, depois de assinado nem tudo o que esteja estipulado estará dentro da lei e independentemente do estabelecido nem sempre confere a obrigação de cumprir. As leis existem para colmatar esses abusos por parte de certas entidades sejam elas a SONAE ou qualquer outra. Quem é que já viu uma formiga a dar uma biqueirada num elefante?

  14. Todos temos o direito à liberdade de expressão, mas quando assinamos um contrato de trabalho que conste no mesmo o sigilo profissional, o mesmo tem que ser respeitado.
    Quanto à ilegalidade comportamental de uma entidade patronal cabe aos seus funcionários apresentarem queixa no ACT ou mesmo no Tribunal do Trabalho.
    Não trabalho na Sonae, nem nunca trabalhei, mas se queremos que tudo seja cumprido, temos que seguir as normas que assinamos aquando da celebração do contrato de trabalho.
    Deixemos de fazer criticas básicas e sejamos objectivos, pois só assim podemos fazer o País evoluir.

  15. agora até imagino andam as chefias dos supermercados em questão a procura de que se escreve no facebook pela parte dos funcionários para assim se “chibarem” dos mesmos aos seus superiores para assim garatirem o prémio no final de ano…

    1. Aquilo é um tanque de tubarões sedentos de sangue que se mordem uns aos outros.. imagine a selva onde é matar ou ser morto. e não duvide que eles tem gente Somente em cima destas denuncias online. e “espiões” la pelo meio dos escritórios que em troca de benesses andam à cuca de alguém que saia da linha e dê com a lingua nos dentes. ja vi uma trabalhadora sindicalizada ser despedida por simplesmente dizer que “não estava bem” quando foi “informalmente” questionada se estavam satisfeita ou insatisfeita com a atual situação dela na empresa. ela recebia nem 600€ e ja tinha pelo menos uns 10 anos de casa. trabalhava imenso. foi despachada LOGO sob presuposto de extinção do posto de trabalho quando na verdade o trabalho recaiu sobre outra funcionaria que pouco fazia e só depois de suar e bem, deu valor ao trabalho árduo da que foi despedida. trabalhar na sonae? nem que me paguem! jamais!

  16. Podem ter a certeza que os informáticos da empresa ja sabem quem postou a denuncia. ( nao é dificil saber por ip ou email. Eles sabem o que fazem.) ela por ora está safa, até isto passar e ser esquecido pelas massas, mas podem ter a certeza que o destino dela lá, já está traçado. vao despacha-la assim que puderem e podem certeza os 15 € que lhe estão a dar a mais vão lhe sair bem caros no fim.. tenho pena dela. ela vai ser despedida com uma mão atrás e outra à frente. foi corajosa!

  17. Eu compreendo que todos tenham razão ao denunciar as atrocidades que se praticam em termos de emprego nas grandes superficies. Mas há uma coisa que não posso deixar de denunciar. Eu sou chefe dos recursos humanos de uma grande empresa. E durante as entrevistas de emprego, todas as pessoas, ( com algumas exceções ) aceitam as condições que lhes são propostas pela entidade empregadora. Agora pergunto eu; se aceitam, porquê vir reclamar a seguir de uma coisa que os próprios aceitaram??????

    1. A maior arte das vezes…diria a raiar os 90%, as pessoas são jovens, ou relativamente jovens (até 40 anos) e desconhecem a legislação, os seus direitos e tudo o que é importante saber em relação a uma contratação.Este, é um aspecto.Um segundo aspecto prende-se com a necessidade impreterível de conseguir um emprego.Falo por mim que trabalhei apenas 30 anos neste país e só três entidades empregadoras me descontaram para a Segurança Social, somando SÓ 4 anos interpolados de descontos; as restantes, simplesmente colocaram a questão desde início, como condição sine qua non: ou aceitava assim (sem direitos nenhuns, dinheiro vivo ao fim do mês, incluindo o Grupo Espírito Santo, numa Residencial de Luxo em Carnaxide, ou……nada feito) Mãe de família, sozinha, fui sempre forçada a aceitar as condições, para ter trabalho e cumprir com as minhas obrigações (renda de casa,agua, luz, gás, alimentação, etc.).Diga-me agora, senhor Álvaro Freitas, o que fazer em circunstâncias destas?Nunca tive direito a descontos, donde nunca pude usufruir de Baixas Médicas pagas.Um percalço de saúde, sempre significou para mim desemprego, quando este percalço ultrapassava o mínimo dos mínimos que os patrões aceitam (normalmente muito pouco), como cirurgias de urgência (já tive 4!)…….
      Convém sabermos melhor sobre a realidade das pessoas.A precaridade é antiga neste país, mas recentemente (6/7 anos) tornou-se endémica.Daí se falar tanto agora, pois é uma percentagem muito grande da população que a sofre.Já vou perto dos 60 anos, incapacitada por cirurgia feita em Hospital público, chumbei a duas Juntas Médicas e não terei Reforma, entende!?….
      O meu testemunho não tem por objectivo a pena pessoal, mas tão somente,com este breve relato, mostrar aos que vivem mais folgados e mais “almofadados” na vida, que este país está cheios de Marias,e de Joões como eu….CHEIO, Sr. Álvaro Freitas!

    2. desculpe….mas não aceitarem, ficam com o emprego???? sabe o que diz a sonae? – no contracto que faz aos empregados…. e passo a sitar” …não se considera com direito a indemnização e/ou compensações, nos casos de alteração de horário de trabalho, transferencia de secção ou de mudança de local de trabalho”….”…não cabe dentro dos deveres do empregador, a obrigação o trabalhador/a num estabelecimento, como forma de lhe assegurar boas condições de trabalho…” – alguma dúvida e eu mando um fotocópia de um contracto.

    3. Até parece q em empregos de “trabalhadores não qualificados” como o são os dos supermercados e dos contact centers há possibilidade de negociar um contrato de trabalho! Não há! Ou se aceitam as condições propostas ou simplesmente não se é contratado e o pensamento generalizado é que “é melhor ter um emprego de #%* do que não ter emprego”, melhor receber 3 Eur / h do q não receber nada.
      Empresas de Trabalho Temporário têm as costas largas devido a leis infelizes que penalizam o trabalhador e permitem às entidades patronais pôr e dispôr dos trabalhadores e fazer contratos de trabalho “incríveis” (no mau sentido da palavra). Se a sua empresa é diferente, divulgue – acredito que vá ter muitos trabalhadores a bater à sua porta.

  18. Existe um erro crasso no direccionamento destas queixas / reclamações.
    Acham que cabe à empresa empregadora a obrigação de nos dar condições de trabalho, nos tratar como seres humanos, garantir o nosso “pão de cada dia”?!? Está bem.
    E quem é responsável por fiscalizar e definir os limites dentro dos quais empregados e empregadores devem agir? A Lei.

    O problema deste país é que a legislação em vigor permite e incentiva este tipo de comportamento.
    Falamos de legislação especial para empresas de trabalho temporário que incentiva que empresas que outrora contratavam pessoal e efectivavam postos de trabalho, agora sub-contratem por intermédio de ETT. É assim fácil para a empresa “fechar os olhos” e desresponsabilizar-se quando necessário. Também significa que a empresa não conhece pessoalmente os seus trabalhadores – ou seja, somos números, desumanizados, facilmente e legalmente substituíveis.

    Por outro lado, uma ETT, quer mostrar resultados, eficiência, eficácia, cumprimento de objectivos, elevado nº de tarefas realizadas, etc à empresa que a emprega, pressionando os seus trabalhadores para tal. Por vezes, criando-se uma cultura em q + vezes se apontam os erros, do que se louva o bom trabalho executado.
    Para quem não sabe, grande parte das ETT recebe da empresa contratante não só 1 valor por trabalhador (2x ou + superior ao salário que pagará ao mesmo), como poderá receber adicionalmente por atingir objectivos de cumprimento de timmings / nº de tarefas – grande parte das ETT recebe por chamada atendida e por tarefa executada (caso dos callcenters). O trabalhador no acto da sua função suplementa assim o rendimento da ETT, mas nunca ou raramente o seu.

    No escândalo deste Código do Trabalho em vigor, falamos de contratos de jorna (1 dia), contratos à semana, contratos mensais, contratos a termo incerto (duração incerta, podem ser cessados sem direito a indemnização a qualquer momento).
    Em acréscimo, a própria efectividade dentro das ETT, em contratos de termo incerto, foi alterada de 3 anos para 6 anos – surreal nos tempos que correm.
    Não esqueçamos claro, o nosso salário mínimo de 505 Eur, 11% para a Seg Social, – taxa de retenção IRS, uma sobretaxa de 3,5 % (qdo aplicável), e ainda subsídios de alimentação > a 4,13 Eur sujeitos a descontos. (o que é que no nosso salário não é sujeito a descontos para o Estado?!!!).

    Concluindo, façamos pressão não (só) sobre uma Sonae ou tantas outras (todas as grandes empresas q sub-contratam na realidade…), mas sobretudo sobre o Governo e a Assembleia Legislativa, para que se faça um código de trabalho + digno, que não permita aos empregadores total liberdade e leviandade para com os trabalhadores.

    Por fim, deixo uma mensagem, tanto para as entidades patronais como para o Estado: Engenheiros ou caixas de supermercado, somos nós (trabalhadores) que geramos a vossa riqueza. Não se esqueçam disso!

    1. É triste chegar a esta conclusão mas temo que, pelo menos no curto prazo, não haja nada a fazer. As empresas e o governo estão de mãos dadas para enriquecerem juntas. Por isso os trabalhadores nunca vão ter direito a nada. E não há nada que se possa fazer que não vá parar a um beco sem saída. Greves? Só servem para os que lá estão sofrerem nas mãos da policia ou ficarem marcados. Queixas? Vão todas cair em saco roto. A comunicação social quando não está do lado das empresas está do lado do governo, por isso não contem com ela. Justiça? é uma anedota e só existe para quem tem dinheiro, como aqui já foi dito. Soluções? Abandonar o país? Nem sempre é uma opção. Tentar trabalhar por conta própria? Só se for para dar ainda mais dinheiro ao estado. Não votar PS nem PSD? Podia ser um princípio, mas partidos pequenos nunca teriam poder para impor fosse o que fosse e muito menos tirar privilégios a quem, na verdade, manda neste país. Neste momento o povo não tem voz nem poder. E não vejo mudanças para breve. E quanto mais tempo estamos nesta situação mais ricos os ricos ficam e, por sua vez, mais poderosos. E consequentemente menos hipóteses temos de reivindicar e conquistar seja o que for. Estamos condenados e ninguém faz nada, não podemos contar com a ajuda de ninguém, nem da Europa (outro antro de interesses e corrupção). Resta saber até quando a panela de pressão vai aguentar sem explodir. Espero estar cá para ver a queda de criminosos como o Belmiro e outros da mesma estirpe. Infelizmente não creio que viva o suficiente para isso, precisava de ser (quase) imortal…

  19. Podemos sim e passem a palavra no mês de dezembro NÃO fazemos compras no grupo Sonae, tao simples como isto, e iremos ver com manda,
    se nós todos juntos, ou eles que pensam que estão acima das leis

  20. Seria óptimo se todos pudessem recusar tais condições de trabalho, mas infelizmente a falta de outras oportunidades e a necessidade não dá outra hipótese para quem quer manter uma vida minimamente digna e honesta. O mundo é uma poça de lama, pessoas frias e impiedosas abusam dos mais fracos alcançando assim os próprios objectivos.
    Como se não bastasse a terrível situação em que o verdadeiro guerreiro do dia-a-dia se vê metido, esse ainda é rodiado por colegas, na sua grande maioria, miseráveis como pessoas. Intrigas, fofocas, “backstabbing” nas suas mais diversas formas; os que deviam estar unidos estão separados, dessa maneira permanecerão sob domínio.
    Fora a união, a única maneira em que, ao meu ver, poderia reverter a situação seria com mais oportunidade de escolha. Com escolha ninguém se sujeitaria a tais condições. Os patrões desse tipo de estabelecimentos incluindo os call centers deixariam a mentalidade “se não queres vai embora, Amanhã já tenho outro no teu lugar”. Infelizmente oportunidade de escolha laboral não é algo pelo qual o nosso país é famoso.

    Para terminar, há alguns anos atrás trabalhei para um call-center que presta apoio a várias operadoras portuguesas. A frase que referi acima foi dita pelo patrão da empresa numa reunião improvisada com os operadores, porque esses se sentiram desmotivados e abusados o “grande homem” decidiu dizer isso, lembrando os operadores da sua insignificância e como são facilmente substituídos. Não posso queixar-me porque ele lá bancou algumas actividades para os funcionários, o que é de valor.

    1. pois posso-lhe dizer, que o “grande homem” que “liderou” um dos modelos disse pior…….numa das reuniões matinais……”sabem o que foi a pide?….não? então digo-vos uma coisa, eu sou o capitão deste barco, e que não remar para o mesmo lado que eu, está f…….” tive o prazer de os levar a tribunal e ganhar.

Deixe o seu comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s