DECRESCIMENTO O CARALHO! | Ou o consumo é universal ou o seu nome é privilégio

unnamed (10)

Apesar de não ter nenhum amor pelo frenesim consumista, não tenho grande pachorra para a converseta sobre o decrescimento. O principal problema do capitalismo global continua a ser a redistribuição, não o consumo. As classes médias no centro do regime têm razão quando acusam as elites de que estão a transformar o consumo num privilégio apenas possível para aqueles que podem não viver do salário, e têm as suas contas bancárias recheadas com o dinheiro da especulação ou da renda.

Tudo é facilmente desmontável sobre o assunto. Como está escrito na comunidade que hoje apareceu na rede, é justa a luta para se evitar “recuar ao tempo das marmitas”, e há que lutar contra um “imposto que penaliza o consumo, esse que é suposto colocar a economia a recuperar, prejudicando sobretudo quem tem menos dinheiro, pois toma por igual a bolsa de todos”“O IVA é um assalto!” porque coloca ao consumo um garrote de classe insustentável, que não permite uma discussão sobre bens e recursos no campo da universalidade, e mesmo a sua abordagem crítica só é passível de ser feita por aqueles que nunca foram na vida sujeitos à austeridade.

Ninguém, no seu perfeito juízo, pode concordar que um carro de luxo ou uma jóia pague o mesmo de imposto que uma sopa numa tasca ou que uma cerveja exótica num qualquer boteco gourmet. O impacto do IVA no sector da restauração, por exemplo, é de tal maneira grave que não percebe que a rede de espaços comerciais pelo país cumpre um autêntico papel de serviço público. Hoje já não são necessários como posto público de telefone, como o foram durante décadas, mas continua a ser o sítio onde, do correio à socialização, tudo vai acontecendo um pouco pela tasca.

O Estado não pode continuar a extorquir desta maneira todos os que resistem ao individualismo reinante de uma sociedade que se acha de consumo mas que nunca semeou tanta necessidade.

Anúncios

6 thoughts on “DECRESCIMENTO O CARALHO! | Ou o consumo é universal ou o seu nome é privilégio

  1. Sociedade de consumo para desempregados, ordenados de miséria? Onde está o consumismo desenfreado? Só se for a ver TV, a dizer tolices dos vizinhos…Este tipo de coisas, são o consumo possível! M.A.

  2. mas, do que li sobre decrescimento, não penso que impeça ” uma discussão sobre bens e recursos no campo da universalidade “. Mas seria possível ou, de outra forma, é uma escolha que subscrevo produzir menos lixo comercial, produzir menos no total e produzir de outra forma, e no entanto com o objectivo de responder às necessidades de todas as pessoas, começando pelas que são essenciais à vida destas.

    Muito do tempo e esforço que é dedicado ao trabalho poderia ser utilizado para produzir coisas que HOJE fazem falta e não estão a ser produzidas.. de qualquer maneira não percebo: o post reduz o decrescimento aos impostos sobre o consumo???

Deixe o seu comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s