Sobre os abusos permanentes aos trabalhadores dos hipermercados CONTINENTE / por trabalhadora abusada

images

Os hipermercados são um lugar horrível: cínico, falso, cruel. À entrada, os consumidores limpam a sua má consciência reciclando rolhas e pilhas velhas, ou doando qualquer coisa ao sos hepatite, ao banco alimentar ou ao pirilampo mágico. Dentro da área de consumo, cai a máscara de humanidade do hipermercado: entra-se no coração do capitalismo selvagem. O consumidor, totalmente abandonado a si próprio (é mais fácil de encontrar uma agulha num palheiro do que um funcionário que lhe saiba dar 2 ou 3 informações sobre um mesmo produto), raramente tem à disposição mercadorias que, apesar do encanto do seu embrulho, não dependam da exploração laboral, da contaminação dos ecossistemas ou de paisagens inutilmente destruídas. Fora do hipermercado, os produtores são barbaramente abusados pelo Continente (basta que não pertençam a uma multinacional da agro-indústria), que os asfixia até à morte e, quando há um produtor que deixa de suportar as impossíveis exigências que lhe são impostas, aparece outro que definhará igualmente, até encontrar o mesmo fim. Finalmente, nas caixas do hipermercado, para servir o consumidor como escravos idênticos aos que fabricaram os artigos comprados, estamos nós.

O hipermercado está portanto no centro da miséria que se vive hoje no mundo. O consumidor, o produtor e nós temos uma missão comum: contribuir para que os homens mais ricos do planeta fiquem cada vez mais ricos – contribuir para que a riqueza se concentre como nunca antes na história. Se somos todos diariamente roubados e abusados, é por este mesmo e único motivo.

sonae-c810

Vou-vos relatar apenas a minha banal experiência diária (sem pontos de exclamação já que o escândalo é comum a qualquer um dos tópicos que irei descrever). Espero que sirva de alguma coisa, apesar de saber que ninguém se incomodará muito com ela. Afinal, é a mesma selva que está já em todo o lado.

  • 1 – salário

Trabalho 20h semanais em troca de 260€ mensais, o que dá pouco mais de 3€ por hora. Que isto se possa pagar a alguém em 2015 devia ser motivo de vergonha para um país inteiro. Que seja um milionário a pagar-me esta esmola devia dar pena de prisão efectiva.

  • 2 – precariedade

Já vou no terceiro ‘contrato’ de seis meses e ainda não passei a efectiva. Quando chegar a altura em que poderei finalmente entrar para o quadro, serei dispensada como tantas outras. A explicação para a quebra brutal na natalidade está encontrada: afinal, alguém consegue ter filhos nestas condições?

  • 3 – trabalho não remunerado fora do horário de trabalho

Se o futuro é uma incógnita, o presente é sempre igual: todos os dias, sem excepção, trabalho horas extra grátis que me são impostas. O meu horário de saída é às 15h mas, depois dessa hora, ainda tenho para executar várias tarefas obrigatórias, que me levam entre 15 a 20 minutos diários, como arrumar os cestos das compras e os artigos que os clientes deixam ficar na caixa ou guardar o dinheiro no cofre. No quase ano e meio que levo a trabalhar no Continente, devo ter saído uns 5 dias, no total, à hora certa. E já cheguei a sair uma hora e meia depois das 15h, apesar de os meus superiores saberem muito bem que dali ainda vou para outro trabalho e de, por isso, eu ter sempre imensa pressa para não me atrasar.

  • 4 – trabalho em dias de folga

Para perpetuar a falta de funcionários na loja, obriga-se aqueles que lá estão a trabalharem pelos que fazem falta, oferecendo assim todos os meses algumas horas do seu tempo de vida e de descanso ao patrão, que deste modo poupa no número de salários a pagar. Mais absurdo: num dia em que esteja de folga, posso ser convocada para ir à loja para fazer inventário. Sou obrigada a ir, apesar de estar na minha folga, e apenas posso faltar mediante justificação médica. E, como se não bastasse, até já aconteceu eu ser avisada no próprio dia da folga.

  • 5 – cada segundo de exploração conta

Neste ano e meio, cheguei uma única vez 5 minutos atrasada e a minha superior foi logo bruta e agressiva comigo, tendo-me gritado e agarrado pelo braço, apesar de supostamente haver uma tolerância para se chegar até 15 minutos atrasada. Nunca mais voltei a atrasar-me. Nem 10 segundos. (Já sair pelo menos 15 minutos mais tarde do que a hora prevista, isso é todos os dias.)

  • 6 – formatação do corpo

Relativamente à aparência física, devemos formatá-la meticulosamente, ao gosto sexista do patrão. Na loja onde trabalho, várias colegas tiveram por isso de eliminar os seus pírcingues, apagar também a cor das unhas (lá só é admitido o vermelho) e uma até teve de mudar de penteado. O patrão quer que nos apresentemos como autênticas bonecas. Faz lembrar os escravos que eram levados para as Américas, a quem se retiravam as suas marcas corporais para serem explorados sem outra identidade que a de escravos (seres humanos transformados em mercadorias).

  • 7 – pausa para comer/urinar/descansar é crime

Mas o pior de tudo é mesmo o que acontece durante o tempo de trabalho. Os meus superiores querem que eu esteja as 4 horas sentada a render o máximo que é humanamente possível, por isso, dificultam ao máximo as minhas pausas – que são legais e demoraram séculos a conquistar – para ir comer qualquer coisa ou ir simplesmente à casa de banho. A única coisa que me autorizam a levar para junto de mim, no meu posto de trabalho na caixa, é uma garrafinha de água previamente selada e nada mais. De resto, o que levar para comer e beber (sumos e iogurtes líquidos não podem ir comigo para a caixa) tenho que deixar no Posto de Informações e só tenho acesso quando da caixa telefono para lá. Normalmente, no Posto, fazem que se esquecem desses pedidos, passando uma eternidade até eu finalmente conseguir ir comer. E, quando a muito custo lá consigo obter autorização para ir comer, sou pressionada para ser ultra rápida, pelo que em vez de mastigar estou mais habituada a engasgar-me. O mesmo acontece com as idas à casa de banho, sempre altamente dificultadas.

  • 8 – gerem-nos como se fôssemos animais

Há uns tempos, uma colega sentiu-se mal quando estava na caixa, fartou-se de pedir licença para ir à casa de banho, mas foi obrigada como de costume a esperar tanto, tanto que lá se vomitou, quase em cima de um cliente.

Não se calem e denunciem todos os abusos nas redes sociais e nos blogs.

(gostava imenso de assinar, mas os 260€ do salário fazem-me tanta falta)

438 thoughts on “Sobre os abusos permanentes aos trabalhadores dos hipermercados CONTINENTE / por trabalhadora abusada

  1. Eu trabalho no Continente e como em todo o sitio há pessoas humanas e outras que quando lhes peço ajuda me gritam aos ouvidos sem sequer perceberem a situação mas isso há em todo o lado.
    Pelo que percebi deverá depender do Continente em questão. As minhas pausas são monitorizadas e se passam 15 minutos vão me logo chamar a atenção, mesmo que seja apenas em 5 minutos. Ha e sim quando pedimos para ir nunca me disseram que sim à primeira e muitas vezes esquecem-se que pedi. No entanto tal como o que referem aqui saio SEMPRE depois da hora eu e os meus colegas e nunca são só cinco minutos varia sempre de 15 a 30. Relativamente a alterações de horário, elas são pagas.

    1. Eu também Trabalho no Continente, e sempre fui respeitado e todos os minutos que estive a mais foram gozados mais tarde. E o dinheiro que se ganha, não é nada mau! comparado a outros sítios de emprego, o continente é muito bom! E também sei que se um empregado for mesmo muito bom, eles metem efetivo.
      Portanto isto tudo depende da loja em que se trabalha!

      1. Olhe que eu fui desde Maio até este mês a operadora mais produtiva, poucas anulações, quebras mínimas, mas como fui contratada para dar licença de maternidade a uma efectiva acha que lá fiquei? Fiz 1 ano de contrato e meteram-me a andar. 9 meses a fazer horário de fecho sem nunca rodar. Tenho uma anemia crónica e ainda assim insistiam em meter-me 2 dias a trabalhar 5h e sem comer… Mas pronto, não achei o vencimento mau relativamente a quem faz 40h semanais

      2. Ora sôr nuno, és das das 2 uma:
        Um “chefe” a falar.
        Ou então a tua loja é mesmo brutalissima.
        Tudo, escrito aqui Á LETRA, é a realidade no Continente em que trabalho.
        E pior, Falta de trabalhadores? Vamos fazer contratos temporários de trabalho anos a fio, até que a pessoa já não faça falta.
        “Á e tal não és obrigada a assinar nada” .. Pois, mas há contas para pagar, e eles sabem disso, agora, meter as pessoas no quadro a 40h/semanais? Não que isso não dá jeito, ficam a 20/semanais no quadro mas a fazer 40h “temporárias” (geralmente anos) que assim pode-se reduzir o horário á pessoa quando mais der jeito ou essa já não render tanto!

      3. Oh sr.nuno só você para me fazer rir😂😂😂😂que loja é essa?peço já amanhã transferência 😂😂😂😂

    2. Todos nos temos direito a pausa e de sair a nossa hora.o primeiro problema em questão é terem aceitado o banco de horas….pois com ele estão aos olhos da empresa sempre disponíveis….eu saiu a horas,almoço a horas ,tenho sempre pausa de 15 minutos….e o outro grande problema é vocês serem colaboradores da frente loja..sao o último sorriso para o cliente e não sabem a arma
      que tem para os encostar a parede….juntem se….

  2. Neste artigo vi uma realidade a que já estou habituado, pessoas de bem e mal aproveitadas a aturar compadres do sistema que sujam as mãos pelos que os protegem de se tornarem os abusados e com isso ganham privilégios sobre os que abusam e muita vez não tem maiores capacidades, inteligência ou talento somente tem a capacidade de sujar as mãos… É chocante o que as pessoas passam para sobreviver, estão a privar a liberdade e os direitos mais básicos das pessoas. Esta sociedade está cheia de medo, e com o medo estes chulos reinam sobre nós como carneiros. Eu sei que o problema existe mas solução não sei… Conformar? Não resulta, acabas por te destruir. Revoltar? Não resulta quando te levantas estás sozinho e uma voz sozinha não se ouve… Quando tens consciência do que fizes-te tens todos contra ti… Denunciar? Infelizmente já vi que não resulta o ACT não quer saber, o ACT quer apanhar o dinheiro do teu patrão e depois o teu patrão cai em cima de ti quando o ACT já apanhou o dinheiro do teu patrão já não quer saber de ti..

  3. Fazer queixinhas em Blogs e redes sociais em vez de procurar alternativas para sair dessa Roda de hamster não é de todo solução. Sejam criativos, trocar 20 horas por 260 euros não é de todo a saída dos vossos problemas….Se calhar em podem ganhar esses 260 (muito possivelmente mais) fazendo outras coisas que só dependem de vós… Agora queixar, protestar e no fim concordar com tudo isso (sim, se continua a compactuar e a trabalhar lá é porque concorda) não é solução. Não é isso que lhe resolve os problemas. Já estou a imaginar o que vai nas vossas mentes “Ah este fala de barriga cheia, eu afinal não tenho diploma nenhum, nem tirei nenhum curso e mesmo aqueles que tiram há muitos no desemprego”. Relativamente a isso só tenho algo a dizer, muitos dos homens mais ricos do mundo não tem mais que o equivalente ao 12º ano. Como ficaram milionários? Foram criativos, não desistiram dos seus sonhos, aprenderam a fazer o dinheiro trabalhar para eles, a cada dia que passava aprendiam mais e mais e mais e mais, investiram tempo em aprender para faze-los crescer….E tempo todos tempos, afinal os nossos dias tem 24 horas… Em vez de ficarem sentados a assistir à poluição que se chama TV (com casa dos cabredos, TVI’s, Telejornais cheios de desinformação para baixar a nossa auto-estima etc etc) porque não investem em vocÊs? Leiam um bom livro para aprender algo, leiam informação útil na internet, vejam videos de conferencias que há no youtube e acima de tudo, QUEIRAM MUDAR, porque só depende de vocês…. os 260 euros? Esses aparecem-me magicamente na minha conta bancária enquanto me preocupo em arranjar forma de aumentar o meu rendimento…(ao contrário do que estão a pensar, deu-me trabalho para pôr a roda a andar, levou tempo, mas vale a pena…..). Como dizia o grande Jim Rohn, “Prefiro Lucro a salário”. Aconcelho vivamente procurar no youtube por este senhor e ouvir o que ele diz…pode ser que vos abra a os olhos :)

    Um Abraço

    PS: Só espero não ser mal interpretado, simplesmente estou farto de abrir o facebook (para mim é uma arma de trabalho) e estar constantemente a ser bombardeado por post’s de pessoas a chorarem, lamentar, protestar e nada fazer para inverter a situação…Não vale a pena culpar o tempo, o governo, o chão, o sol…nós somos os únicos culpados da nossa própria situação!

      1. Este panascazito vem paqui publicitar esquema de venda em piramide! LOOOL aposto que está “rico”! Sinceramente…

      1. Ana, obrigado pela sua sugestão, eu tenho noção disso e como nem todos temos o dom da escrita, tenho trabalhado nesse sentido para melhorar. Nunca vi um escritor a nascer, mas já vi alguns a morrer… Acredito que com trabalho, consiga um dia chegar ao seu nível :)

        Bem Haja!

    1. OK sabes o que as pessoas fazem? Emigram. Sabes quantas empresas há igual ao Continente em Portugal? Nem eu sei mas proliferam. Acho que todos podemos ajudar, que mais não seja com indignação e evitando ao máximo ir aos sítios do sr. Belmiro, eu evito.
      E tu cheiras a esturro e explorador. devias ter vergonha.

    2. Meu caro, eu sou das pessoas que felizmente não tenho que me queixar financeiramente, mas entendo que a sua forma de pensar obtusa chega a ser ridícula e egoísta e por isso passo-lhe a explicar. Se toda a população tivesse capacidade e apetência empreendedora, não haveria ninguém para executar o trabalho necessário para o funcionamento de uma sociedade e da respectiva economia. Aqui o que se relata é a enorme degradação da justiça social face ao capitalismo escravizador que se tem vindo a denotar. É justo? Não! É necessário? Também não! Mas certamente pelo seu discurso deve perceber muito do assunto. Que nunca precise de 260€ se um dia o seu negócio não funcionar. Para finalizar, você deve ser daqueles que quando está na mó de cima cospe para baixo e neste caso com soluções certamente de pirâmide. Só a expressão “marketing de rede” dá para rir! Não passam de uns artistas a enganar uns quantos para receber os tais 260€ num ápice, sendo de tal forma grave quando procuram pessoas desesperadas para alimentar a “bolha”. Quando souberem o que é um negócio sustentável e que realmente tenha produção económica abram a boca, senão mantenham-se low profile e façam as burlas mascaradas de negócio discretamente. Ah não estava recordado, não podem ser discretos, precisam do facebook e similares para atingirem as massas! Enterrem-se antes de dizerem asneira!

    3. Criatura, se ainda acredita que se fica milionário a trabalhar, mude de planeta! Salvo pouquíssimas exceções, só com muito “roubo” e muita fuga ao fisco se fica milionário. Tem “amigos” para isso? Se não tem, deixe-se de discursos e enfrente a realidade.

    4. Não diga asneiras! O que é que uma realidade, a dela, tem a ver com o seu desabafo?! Vá trabalhar para lá e depois venha para aqui contar a sua experiência. E não me venha outra vez com o seu discurso de ‘chico esperto’.

    5. depreendo que vive á custa de incautos e desfavorecidos.
      o seu simples acto de respirar, enoja-me!
      espero que deixe de existir com tão poucos escrupulos como da falta de humanidade de que padece!

    6. Já era altura de controlares o teu facebook para não teres de ler o que não queres. Era da maneira que os apreciadores deste blog não tinham de ler o teu vómito.
      A ideia de que cada pessoa pode ser um steve jobs é o mito do empreendedorismo, é parido pela cultura do individualismo extremista importada dos EUA, a qual reza que não há constrangimentos sociais, tudo depende das características individuais, obviamente inatas. Respeito todas as religiões, mas há limites para a crendice.
      O que aqui se expõe é a falha da organização social, das forças piramidais estruturadas que subjugam as massas, sob pena de não haver diferenciação social. A estas forças todos estão sujeitos, sem excepção. Só não vê quem é cego.
      Obrigado à trabalhadora pelo testemunho. É um entre várias milhares, pois “continentes” há muitos, e um já é demais.

    7. Culpar as vítimas da sua exploração é nojento e imoral. Sobram “conselhos” de pessoas como você. Não tem empatia nem vergonha. A sua hipocrisia é vomitiva.

    8. Sim, há outras formas, e as que mais estão na moda é impingir coisas para as pessoas comprar e melhor ainda vender.
      E, assim realmente há quem ganhe muito dinheiro, mas à custo dos que são enganados,
      Chamam-lhe “Pirâmide”, “Em Linha” e sei lá que mais, o que importa é que tenha lábia para convencer muita gente que trabalhe para a sua rede.
      Basicamente é um polvo, uma cabeça (que até tem uma bolsa) e muitos braços que vão fazendo o trabalho.

    9. Desde já peço desculpa por não ter tempo para responder a todos individualmente.

      Começo por agradecer os vossos comentários. É com as criticas CONSTRUTIVAS que cresço e aprendo diariamente. Criticar por criticar sem apresentar uma solução não faz parte de mim.

      De uma forma rápida, ao contrário do que apregoam ao longo de todos estes comentários, eu não impinjo produtos nem participo em esquemas fraudulentos. Marketing de rede é uma das indústrias que mais facturam no mundo e como tal, as “Grandes empresas” que são “Sérias, honestas e tudo mais” utilizam esta indústria para divulgar os seus produtos. Ex: a campanha da PT, se recomendar um amigo a assinar contrato com a MEO, eles ofereciam 30 euros a cada. Campanhas da Worten, fnac etc etc, que sempre que um cliente assina contrato com uma operadora na loja deles, eles ganham uma parte do valor da mensalidade que o cliente paga à operadora etc etc etc. Amigos, isto é marketing de rede. Infelizmente graças a pessoas sem morais, que tentam atrair outras prometendo lucro fácil, esta indústria é olhada de lado por maior parte da sociedade.
      Além de partilhar conteúdo que acho relevante para quem trabalha nesta indústria, estou a lançar um projecto onde os utilizadores da plataforma podem poupar nas suas compras online. Sem pagar nada para se inscreverem, nem para usarem. Como devem calcular não poderei dar mais detalhes sobre o projecto porque ainda se encontrar em fase de criação.
      Também trabalho com PME’s, para os ajudar a aumentar o seu número de clientes.

      Só para responder à curiosidade de quem respeitosamente perguntou, além de tudo o que descrevi acima, tenho imóveis alugados e invisto em capitais.
      Fica aqui um pouco da minha história…Desde muito jovem comecei a trabalhar, já trabalhei como empregado de balcão, empregado de mesas, em armazéns, estudei e trabalhei, tirei o meu curso, trabalhei como consultor em empresas e durante todo este percurso sempre tive presente na minha mente que não queria ajudar os patrões a realizar os seus sonhos em vez de ajudar-me a mim próprio a realizar os meus. Graças a Deus, hoje em dia as coisas estão um bocadinho melhores, mas ao contrário do que muita gente pensa, trabalho mais que qualquer pessoa que faz o seu horário de 8h por dia.
      Uma coisa é certa,por vezes precisamos de ceder para atingir os nossos sonhos, mas se não agirmos, estes nunca passarão de sonhos! Sempre acompanhado com boa disposição, optimismo, energia, garra e vontade de aprender.

      É verdade que nem todos podem ser empresários, mas desengane-se quem pensa que vida de empresário é um mar de rosas… Maioria dos empresários trabalha mais que qualquer empregado…

      Como diz um senhor que respeito muito (Miguel Gonçalves), “área = Espaço limitado…Área é algo que te aquece por dentro, é algo que te move, que te apaixona”. Fica aqui um video de uma conferência dele que vale mesmo a pena ver.

      Um bem Haja a todos.

    10. Esses senhores patrões a que se refere, espertezas rarissimss, também sabem bastante de marketing. Veio “vender o seu peixe”? E lá porque tem grandes empresas e ideias não deixam de ser as sanguessugas que são, explorando os trabalhadores mais ” pequenos ” e indiferentes desde que os números apareçam sem olhar a meios para chegar ao fim. A pessoa relatou o sucedido tanto não chorou e está a mexer que tem um 2° emprego, reparou? Pois.

  4. O verdadeiro problema de Portugal é que os patrões querem enriquecer a custa dos seus trabalhadores, oferecendo condições medíocres de trabalho mas esquecem que um trabalhador revoltado ou indignado produz muito aquém de um trabalhador que tem boas condições de trabalho. Acho que o testemunho aqui feito têm mais haver com as condições que oferecem e com o bullying psicológico do que propriamente com o ordenado que recebem. Qualquer ser humano gosta de ser RESPEITADO e recompensado de uma forma justa por aquilo que faz. As entidades patronais aproveitaram a crise para despedimentos e escravizar aqueles que mantiveram os seus postos de trabalho tendo que trabalhar a dobrar ou a triplicar e devido a falta de emprego muitos tem medo de denunciar estas situações que se passam porque no dia seguinte são despedidos. Estas empresas estão embrenhadas na politica, seja esquerda ou direita. Na minha sincera opinião teria que haver um segundo 25 de Abril. Um bem haja a todos.

    1. Como estrangeira a viver em Portugal, eu acho que o problema deste pais é a produtividade e a falta de profissionalismo.
      aqui é só pausas para café, para cigarro, para falar com a empregada do lado, a visznha ou estar no facebook.
      qual e o problema de trabalhar 15 ou 20 minutos a mais?
      em vez de lamentar se, é preciso trabalhar mais, e só não estiver satisfeito, mude de trabalho. as pessoas competentes nunca tem falta de trabalho nem são exploradas.
      não sou cruel, sou realista!

      1. Trabalhei 30 anos numa empresa, e o que tinha certo era a hora de entrada …. Mas nunca sabia a hora de saida porque queriamos sempre despachar o maximo para nao acumular … E sempre dei horas …. Nao eram pagas, mas se precisava sair para ir tratar de alguma coisa tambem nao me descontavam ….. O trabalho tinha e que ser feito.

      2. não sei qual o seu país, mas eu pessoalmente ,conheço toda a europa e posso dizer-lhe com todas as letras que em Portugal trabalhamos mais e melhor do que em muitos dos Paises chamdos de grandes, e estou á vontade porque trabalhava directamente com a produção de base,grande armazens e grandes fábricas em França ,Almanha, Holanda, Inglaterra, etc,etc,etc e posso dizer-lhe que em termos de pausas , faziam-nas todas ,era para fumar, comer, ir ao wc etc,etc. quanto ao horario é tanga, eu podia chegar mais cedo que só era atendido depois de abrir, mas 15 ou 20 minutos depois, mas na hora do fecho nem mais um minuto, na própia Almanha que se gabam tanto de serem os melhores, muitas vezes tive que cheguei ao cliente e faltava 30 minutos para fechar e tinha que ficar para o dia seguinte, e se fosse uma sexta feira ficava para segunda,eu sou motorista internacional sei do que falo e nós aqui nunca deixamos um camião para o dia seguinte mais lhe informo que cá carregamos ou descarregamos um camião em mais ou menos 1 a 2 horas depende um pouco da carga nos chamados Países evoluidos pelo mesmo serviço perdia 3 a 4 horas a correr bem porque na Almanha tinha empresas que levavam 6 hoas,tudo isto para dizer há senhora que aqui trabalhamos muito mais e melhor que no seu País .

      3. Se assim é, o que está a fazer no meu país? Volte para o seu que pelo menos é menos uma a tirar trabalho a quem faz falta. No seu país faz as críticas que quiser. No meu, tem de respeitar que a acolhe!

      4. O problema aqui não se trata de trabalhar mais 15 ou 20 min, mas sim trabalhar e não ser recunhecido pelo esforço. E além disso a sera diz que tem outro trabalho, por iso não deve ter medo de trabalhar mais 15 ou 20 min.

      5. O problema de trabalhar 15 ou 20 minutos a mais, uma vez por outra não é problema nenhum. Experimente todos os dias, sem receber mais por isso, atrasando-se para buscar os filhos à escola ou às aulas pelas quais paga propinas para assistir e depois comente… Veneno nos olhos dos outros é refresco minha cara… Creio que se enganou no país onde reside… a realidade que descreve não existe no Portugal onde com imensa competência e empenho me sujeito a condições de trabalho que abomino, depois de ter virado as costas a outras ainda piores!
        Que a vida continue a correr-lhe maravilhosamente e o trabalho nunca lhe falte!

      6. Os Portugueses que não são produtivos em Portugal, são os mesmos que tem niveis de Produtividade iguais aos residentes quando emigram.E porque será? Será que os incentivos nos outros Países comecando pelo Salario, são iguais aos Portugueses.E toda a gente sabe que os níveis de Produtividade são baixos em Portugal devido a Organização do trabalho e não devifo a mão de Obra.Belmiro de Azevedo não se queixa da produtividade dos seus trabalhores por uma razão utiliza um metodo eficaz……a coação.

  5. Desde sempre que a plebe serve o senhores e deve ter a noção que é assim que tem de ser.
    Desde o rei deu ao meu tetravó o privilegio de um senhorio e a plebe se queria trabalhar tinha de lhe dar um bom quinhão da safra, enquanto ele nada fazia a não ser viver do privilegio.
    A revoluções só serviram e servirão para mudar alguns dos privilegiados, enquanto a esmagadora maioria será sempre a reles plebe.
    Esta espécie que não sabe partilhar irmãmente por isso haverá sempre os privilegiados e os explorados, nada a fazer.
    Os que conseguem entrar para os “senhores” logo se tornam iguais aos que criticavam começam a explorar a plebe o mais que possam de modo a ter o máximo proveito.
    Por isso se não conseguem entrar para senhores dediquem-se mais ao futebol ou a Fátima ou o fado que também está na moda… à, e não se esqueçam de jogar no euromilhões pois dá-vos uma semana de fé enquanto são pisados pela vida.

  6. Trabalho a quase 1 no continente faço menos de 4 horas o meu ordenado base não chega a 200€ levo ao todo 210 ao 220€.
    Com isso quero dizer que a leitora que escreveu o texto tem toda a razão.
    1º já trabalhei 4 horas em outros trabalhos uns iguais ao do continente sem pausas para comer ir a w.c enfim.
    Esteve no trabalho anterior que fazia 4 horas tenha 15 min para comer podia ir w.c quando queria (sem abusos).
    No continente tenho que pedir para ir ao w.c ainda nos “dessem se podes aguentar um pouco” eu digo sim claro passado 10 min ligo posso ir ao w.c sim podes com a aquele tom “despacha te volta rápido” ja nao digo para comer pois nao tenho pausa e direito para comer ja me informar a horas que faço sao poucas mas isso nao me preocupa… ( mas claro que estou sensibilizada quem faz mais 4 horas sao muitas horas sem comer).
    Em relação ao ordenado e uma miséria SIM temos sim subsídios ganhamos era o que mais que voltava de nao recebemos mas infelizmente os descontos que fazemos acabamos por nao ver isso por so vejo nem metade do dinheiro ao seja nada so trocos.
    Horas extras metade pagas outras no dito banco de horas que nem ve los…
    Ah pagas trabalho este mes so recebo no outro mes e nisso feriados também uma coisa posso dizer que recebemos o nosso ordenado no dia certo pelo menos isso…
    Ferias que e nosso direito que se supostamente estamos de ferias este mes era para receber e acabamos por nao receber e mais uma vez e no mes seguinte.
    Ha mais exemplos que podia relatar mas nao as passei… mas passaram os meus colegas.
    Ha alguns meses que pediram para fazer umas horas eu claro aceitei dinheiro faz falta horas pagaram estas horas em 2 meses fiz um mes inteiro supostamente era no mes que trabalhei…
    Nessas horas que fiz tinha horários de 8 horas na caixa ao fim de 6 horas de trabalho iria jantar ao almocar EX: 12h00 as 21h00 so comia as 18h00 das 19h00 e no meu horario estava 14h00 as 15h00 falei a minha chefe e resposta delas nao tenho operadoras suficientes aguenta… depois ha erros que os clientes nao tem culpa…
    Com isso quero disser SONAE e exploradora SIM mas nao e so a SONAE
    Se teem orgulho em receber 3€/h e por que nao passo dificuldades na vida e se passou a chefe e porque passou por cima de muitas pessoas.

  7. tive isso tudo, mas no Valor está enganada a pessoa que publicou, ou entao nao esta a contar tudo, tive essas coisas todas no continente modelo (nao interessa qual), 20h semanais e recebia 380 euros com os subsidios e regalias que TODOS recebiam. essas coisas do capitalismo e obrigarem-nos a trabalhar mais e mais acontecia todos os dias. de 380 pra 260 hum, nao sei nao, agora pensem…

    1. A sério? Há quantos anos? Trabalho há varios anos na Worten, sou permanência de loja, sou responsável de uma secção, trabalho a tempo inteiro e recebo 3€/hora. Agora pense..

  8. Desde quando o grupo Sonae oferece vencimentos e condições razoáveis aos seus colaboradores, salvo ás chefias e, estas devem estar TOTALMENTE disponíveis

  9. Para estares a comparar a tua situação renumerada aos dos escravos de África é porque merecias a violência da tua superior, sua idiota privilegiada.

    1. Devias era deitares-te num buraco bem fundo e tapar-te com um monte de terra e ficares por lá seu ignorante, não ias fazer falta a este mundo com certeza seu monte de esterco. Se e não percebes a semântica das frases então fica na penumbra, que lá é o teu lugar palhaço…

  10. Já trabalhei num hipermercado do mesmo grupo e posso dizer que apesar de algumas das questões que referiu serem verdadeiras para a loja onde estive, não creio que o problema esteja relacionado só com a empresa, mas maioritariamente com as pessoas que nela trabalham…
    Posso dizer que também fui mandada embora no final dos 3 contratos de trabalho, neste caso por razões que nada têm a ver com a loja em si ou com as chefias e responsáveis, uma vez que de tão certas que estavam da minha passagem ao quadro já me tinham marcado as férias para todo o ano (e vim embora em março com o pagamento das férias enquanto não gozadas). Quanto aos 260€ referidos, assumo que sejam de ordenado base, que era mais ou menos o que recebia na altura. Com subsidios e afins nunca recebi menos que 400€ pelas mesmas 20h de trabalho.
    Não querendo fazer de advogada do diabo nem dizer que esta empresa esteja de qualquer forma a respeitar os seus funcionários quero dizer apenas o seguinte: Comparado com outros sítios onde já passei… O Continente, com todos os seus defeitos, foi um autêntico paraíso!
    Só quem se depara com determinadas situações e circunstâncias percebe exatamente o estado de desgraça em que este país REALMENTE se encontra… A precariedade agora é regra… não excepção. Direitos? Legais? Humanos? Ninguém quer saber … ‘Não quer? temos uma pilha enorme de curriculos para avaliar’ … Ouvi isto algumas vezes, tal como outras coisas tão ou mais absurdas e insultuosas à minha capacidade de raciocínio que nem tenho tempo de mencionar… Mas não nos podemos deixar levar neste tipo de chantagem, senão… que será de nós???

  11. Coloquei o artigo na pagina Continente, responderam que iam averiguar, assim sendo tem muito que averiguar porque os abusos são em quase todos os Continentes ou Modelos. E eu pensava que a escravidão tinha acabado… O idiota, ignorante que escreveu a msg, as 8:57 devia remeter-se ao seu lugar, lugar este que é a penumbra. Palhaço!

  12. Trabalhei no Carrefour durante muitos anos, e era muito feliz. Depois de o grupo Sonae comprar o Continente aguentei uns meses e pedi demissão. Prefiro viver pior a ser humilhada e mal tratada no meu local de trabalho. É preciso coragem para dizer BASTA.

  13. Desculpe lá sra, mas a sra trabalha em part time e ainda se queixa…? Trabalha 20h para ter mais que o salário minimo mas eu cá não sabia que tinha que se ser diplomado para ser caixa e estar sentado a passar artigos num computador que faz todos os cálculos. nem sabia que se tinha que ganhar mais que o pobre povo com trabalho qualificado. em segundo lugar se não aguenta trabalhar 4h seguidas sem urinar (mais bom ainda se aceita) e pior, sem comer, haja paciência. a pausa apenas é obrigatória de 15minutos quando a carga laboral é superior a 4h…. eu já fui caixa em part time na decathlon e estava de pé durante 4h e nunca me queixei e não tinha direito a pausa… e nunca me chocou…

    depois as horas extras bem vindo ao trabalho real infelizmente é assim em todo o lado.

    sei que já injustiças mas sinceramente ser caixa nem é trabalho duro ou dificil. é chato mas não tem nada de mais e ganha e tem os mesmos direitos que os outros que trabalham em portugal….

    e eu sou consumidora e não se preocupe que eu vou lá de consciência tranquila. e aposto que a sra. mesmo com o seu traseiro grandinho (já que em 4h tem que comer) deve estar contente com estes hipermercados que lhe permitem aceder a comida e bens a preço acessivel e pode assim viver com o seu salário. senão a sra. iria só comer batatas o mês inteiro e mesmo assim não tenho a certeza.

    1. Você é de uma ignorância sem limites. Quer dizer, como você no seu horário não podia fazer uma pequena pausa para comer ou para uma necessidade básica, acha normal que não permitam isso? Precisamente por isso é que deveria ser apologista de que direitos básicos de um ser humano devem ser preservados!

    2. Sempre trabalhei em supermercados, inclusive em 2006 fui operadora de caixa num continente, part-time 20h e sinceramente não tenho razão de queixa. Não tinha pausa, porque é só acima de 5h, mas sempre que pedia para ir ao wc a chefe só pedia para terminar os clientes se fossem poucos. Se fosse na hora do caos, vinha alguém para nos substituir no imediato. Não podemos condenar uma empresa apenas por meia dúzia de lojas.

    3. Óh Lili! O seu comentário é digno de medalha!… Já ouviu falar em Direitos dos trabalhadores, aliás, em direitos humanos!? Servem também para os caixas de supermercado (essa espécie gorda e preguiçosa que tem a lata de achar que os part-time’s têm direito a remuneração justa) e que só dá maçada à gente! A sua lógica é a do “leva e gosta”. Lá porque nunca se queixou (e foi conivente – aparentemente porque quis!) com estas políticas de merda e com o patrão que a coloca numa situação precária e indignificante) não significa que outros seres (claramente mais inteligentes) não tenham o direito de o fazer! E esse “belo” parágrafo com que remata o seu triste (e quanto a mim bastante vergonhoso) testemunho – e passo a citar : “e aposto que a sra. mesmo com o seu traseiro grandinho (já que em 4h tem que comer) deve estar contente com estes hipermercados que lhe permitem aceder a comida e bens a preço acessível e pode assim viver com o seu salário. senão a sra. iria só comer batatas o mês inteiro e mesmo assim não tenho a certeza.” só demonstra a sua falta de argumentos sérios e estruturados, partindo, por isso, para a ofensa em forma de escárnio (muito fraquinho, diga-se de passagem). Um triste sinónimo de pouca inteligência, muita frieza (no sentido negativo) e insensibilidade. Mas mais grave ainda: demonstra a sua pequenez de cabeça e grande inconsciência, que nem percebe que está a lutar contra si e os seus direitos, enquanto cidadã trabalhadora.

  14. Eu tal como esta senhora, trabalhei na mesma empresa e pelos mesmos abusos passei, ao ponto de passar 6 horas numa caixa e dizerem me que nao posso ir a casa de banho porque nao ha ninguem para me substutuir, de momento trabalho na mesma area apenas para outro patrao, e todos me dizem, “estas melhor agora”. E verdade que nao passo pelos mesmos abusos que passei, e o meu trabalho ja foi reconhecido e ate ja subi para um cargo com mais responsabilidades e bastante polivalente, mas o ordenado e a mesma miseria, 3€ a hora e é se quero, senao põem outra pessoa no meu lugar, de momento nao tenho outra hipotese senao continuar mas, estou a fazer todos os possiveis para me formar e se possivel e tiver oportunidade para isso a saida do país nao esta fora de questao. A todos desejo mas sorte do que a minha e a de todos os que trabalham para estes exploradores e para outros ainda piores que tambem sei que existem.

  15. Euromarché e Carrefour… grupos franceses que não têm nada a ver com o referido grupo portugues! Que saudades dos franceses que sabiam trabalhar, sabiam mandar e mais ainda sabiam recompensar os trabalhadores do seu trabalho. Ainda relembro muitas chefias, diretores e administradores, tinham classe humildade e não andavam de nariz levantado para os funcionários, nada parecido com as chefias de grupos portugueses, estes? que nojo manientos vaidosos não sabem trabalhar nem mandar e ainda acham que os seus colegas de posto mais baixo são escravos a quem podem tratar abaixo de cão e com muita mas muita prepotencia, e mal pagos então… isso é fantastico, porque assim se podem manipular melhor. Atenção tal como a colega que escreveu o artigo, e também alguns anónimos, eu tenho conhecimento de causa e acredito piamente em tudo o que ela diz. REVOLTEMO_NOS ainda nunca percebi como é que os sindicatos ainda nunca marcaram uma greve geral nestes grupos… comem todos do mesmo? OMG

    1. Pois olha trabalhei 17 anos como chefe numa empresa francesa e fazia de tudo ate de empregada de limpeza trabalhava 16 horas por dia folgas so se pudesse 1 vez ou 2 por mês nunca tava satisfeitos chegou a crise não olharam a nada disso e como já tinha 50 anos mandaram me embora com a desculpa de que o meu cargo fora extinto por isso e preciso trabalhar no hiper para saber como e ,nunca olhei as horas que saia nem me queixei pois tava a olhar para o meu futuro e agora ?tou desempregada ,não me querem para trabalhar pois para eles sou velha e sou nova para a reforma onde está o meu futuro ?valeu alguma coisa o sacrifício que fiz ?

  16. É verdade que a verdade doi , a verdade sofrida , essa nunca sara, nao leiam autores do youtubi , nao se ene rvem por vos charem de parvas. Eu nao vos vou dar receita para o que andam a cozinhar apenas um conselho.
    Respirem fundo e metam a carta de saída. A vossa vida vai dar uma volta . Procurem melhor com maquinas automaticas até parece mal estarem por aí.

  17. Num mundo estragado pelas pessoas, á sempre quem esteja bem, quem esteja mal e quem pense que há sempre quem esteja pior! Eu trabalho para o grupo SONAE, num outro ramo. Atualmente sou chefe, tenho todas as regalias que um chefe tem, um bom ordenado, carro da empresa, telemovel , gasolina… Porque digo isto? Não, não é para me gabar nem para ser julgado de mais um que pertence á “máfia” e sim para dizer que tal como muitos, eu também comecei por baixo, muito por baixo… Estagiário que trabalhava tanto ou mais horas que os funcionários contratados, estagiário que trabalhava tantas ou mais horas que os demais, muitas horas… Empregado, fui empregado, com ordenado baixo, poucas condições de trabalho, muitas horas, 80, 90 por semana… 17, 15, por dia! E então? Perguntam vocês,,, Então?? Nunca desisti!!!! Tive esperança, dei o corpo ao manifesto, nunca me dobrei para que me montassem, dei o litro, tentava ser melhor que todos os outros, queria ser o melhor, sonhava! Via os meus chefes com boas vidas, boas regalias e muitos deles, burros como portas!! Quando parava para pensar dizia para mim “se eles conseguiram, porque não consigo? Hei de conseguir um dia…”! Não fiz mestrados, não fui sequer á faculdade!!! Não sou doutor, não sou amigo do patrão nem tenho cunhas ou padrinhos! Tenho uma coisa…CARATER, FORÇA DE VONTADE, FORÇA DE QUERER, NÃO BAIXO AS ARMAS!! Ninguém me pode impedir de tentar ser o melhor, fiz e continuo-o a fazer por isso!!! O patrão gosta deles assim? Que gostam de trabalhar de borla para enriquecerem? Provavelmente… Mas e eu? Cresci, tornei-me homem de trabalho, profissional, aprendi a ser exigente como o foram comigo, provei que a exigência e a disciplina nos torna melhores a cada dia e quando entro noutras realidades, quando me lembro de outros locais onde trabalhei so digo que…este grupo dá muito avanço!! Porquê? Porque, apesar de muitos “mamões”, muitos que ganham á custa de quem trabalha, muitos filhos “do sr. doutor tal”, muitos que que tiram o lugar a quem precisa e que nem sabem o que fazer, ainda há quem se esforce, quem tenha vontade, quem queira demonstrar que apesar de todas as coisas más que nos rodeiam, não sou eu que vou dar parte fraca!!! Sim, hoje sou realizado, mas a minha ambição ainda não acabou aqui! Quero mais, quero ser o melhor…. O patrão ri-se. Mas eu? Eu também!! Tenho uma grande equipa, colegas que trabalharam lado a lado comigo e que diziam “aqui? Ja ca passaram muitos, isto não muda! Esta empresa não merece, não faz nada por nós!”.. E hoje? Reconhecem que se nunca desistirmos…podemos um dia ganhar!! E se não ganharmos? Pelo menos fico com a consciência de que tentei! Tentei ser o melhor, tentei ser sempre mais! Para mim, não para o patrão… Amanhã lá estarei, como á 20 anos atrás quando comecei, com um sorriso, feliz por ter um emprego, feliz por ter regalias que muitos milhares infelizmente não têm, feliz porque não me limito a ficar por aqui, quero ser o melhor, para mim! Amanhã, começo cedo e como á 20 anos atrás quando comecei, quando lá entrar quero sempre mais, não desisto, pois acima de mim ainda há pessoas que podem chegar a provar que uma pessoa determinada pode subir todos os degraus, ainda que com tropeços, mas até ao topo!! E sim, comecei muito por baixo, de graça, muitas horas… Apesar disso, não sou ingrato! Foi ali que aprendi, a ser homem, profissional…

    1. eu sou professora. Também nunca fui á faculdade e só tenho o 12º ano.

      MAS,

      nunca saí fora de horas, pagam-me aquilo que eu mereço, tratam-me por você, respeitam a minha opinião e ouvem o que tenho para dizer. Faço pausas entre as aulas e faço xixi, como ou descanço a cabeça. E acontece que também me tornei num profissional. Também tive as minhas dificuldades, também saí do trabalho a chorar por me aperceber que tinha de melhorar competências. Também fui humilhada por crianças de meio palmo, por colegas e por pais e mães. E também, como tu, ultrapassei tudo de queixo erguido.

      Mas porque é que eu tenho de ser escrava de uma empresa ou de um patrão que só não dá condições de trabalho porque não quer?

      Eu acho que tu achas que nunca te dobraste para que temontassem, mas do meu ponto de vista, montaram-te e muito bem montadinho. Afinal, eu não não adoptei esse papel de mártir, mas não deixei de alcançar as minhas ambições tomando um caminho bem mais agradável, não achas?

  18. Trabalho também num supermercado (Pingo Doce) e o salário base é de 267,5€ para 20h semanais (acho que não está assim muito mal), todas as horas extra que nos pedem são pagas e todos os minutos que ficamos para depois da hora contam pro banco de horas, e depois podemos gozar essas horas (não quando queremos, mas quando a gerência quer, o que interessa é que são gozadas, hoje por exemplo estou a goxar horas).
    Resumindo, gosto imenso de lá trabalhar, só tenho pena de não passar a full-time, e a efectiva (aqui também não se passa a efectiva).

    1. Mas o patrao nao tem conhecimento nem de metade do que se passa nas lojas!lamentavel o desgaste psicologico que esta instalado nos efetivos com muitos anos de pingo doce

  19. Já pensou em fazer outra coisa para obter resultados diferentes? Não fale a pena queixar-se porque se continuar a fazer a mesma coisa os resultados serão os mesmos e daqui a cinco ou dez anos o seu dia a dia será igual.
    Procure mudar, pense positivo!

  20. Para quem está a comentar e diz que no tempo delas era assim e assado. Tentem lembrar-se à quantos anos foi e, principalmente, se o vosso tempo não era Carrefour :)

    Só o tópico dos inventários é que não concordo mas isso pode variar de loja para loja. A mim pedem-me muitas vezes e eu digo sempre que não, insistem mas a minha resposta mantém-se.

    E é como a autora do texto diz “os 260€ do salário fazem-me tanta falta”!

  21. eu não trabalho no grupo sonai nem coisa parecida… trabalho num posto de combustível sem vigilância nenhuma as únicas casa perto uma o senhor que esta de cadeira de rodas outro não houve um carro ir ter ao quintal dele quanto mais alguém a pedir ajuda e o meu ordenado não chega a 3€/H recebo 626€ por mês com sub de natal sub de ferias e sub de almoço não recebo 25€ fundo de caixa nem horas nocturnas… desculpem o termo mas só para que saibam nâo e só continente intermache etc etc…. estamos num pais de merda

  22. E na IKEA? Eu trabalhava 16h/semanais por 160€, mas fazia sempre à volta de 20, q não eram remuneradas. O pessoal q trabalhava 40h ganhava o ordenado mínimo. E era no duro! Era dinheiro q nos saía do corpo, a carregar com pesos e tal! Positivo mesmo só as regalias socias q a empresa apresenta como “cenourinha” para manter os colaboradores satisfeitos. Isso e umas borlas às vezes na cantina, qd se superavam os objetivos de vendas.

  23. Sincerament tens q me dizer onde è q trabalhas, pois eu tambem trabalho no continent e nas caixas e a minha realidade n tem nada de semelhant com a tua. Nao te esquecas d informar q nesses 260€ acrescent o subsidio de alimentacao, mas os domingos e feriados, ah e ainda podes ganhar a tolbox
    Sincerament Tenho pena de ti, pois apanhast mas chefias eu tenho a opiniao totalment contraria e adoro o q faco

  24. PARABÉNS PARABÉNS PARABÉNS pela sua visão sobre o mundo atual e pela seu sarcasmo tão bem empregue! Nunca ponderou a emigração? O mundo está em rápida degradação mas ainda há alguns lugares que “cismam” em permanecer humanos. Aposto que conseguirá construir um futuro, coisa que neste momento lhe está a ser negada. Boa sorte!

  25. Essa realidade não acontece apenas na cadeia sonae. Outras cadeias de distribuição em portugal praticam a mesma politica. E para os senhores que dizem que nos devemos esforçar, fazer o nosso trabalho e o dos outros não chega. Trabalho à dez anos para uma cadeia de distribuição alimentar e durante muito tempo fiz o meu trabalho e o de alguns colegas menos preocupados em que as coisas estivessem feitas. Reconhecimento? nenhum. Fui mãe e o reconhecimento que me deram quando me candidatei para um cargo melhor dentro da empresa, uma vez que tinha o perfil e as habilitações foi: sendo mãe isso é muito dificil, os horários ficam muito limitados e não podemos contar contigo para nada. É esta a realidade do nosso país. Depois queixam-se de desmotivação dos trabalhadores e de quebras de natalidade e outras que tais. Tenham vergonha os senhores governantes e os patrões que passam os dias sentados em gabinetes em amena cavaqueira ou a cirandar de um lado para o outro enquanto ganham os milhares de euros mais mal ganhos deste país.

  26. Acho que como em todo o lado há bons e maus profissionais. Eu trabalhei para a SONAE até à bem pouco tempo e não tenho qualquer motivo de queixa. Pelo contrário, tenho muito a agradecer a essa grande empresa. Acho um pouco… enfim, fazer uma generalização deste tipo que como já se espera prolifera na internet porque há quem, não sabendo, engula uma só versão da história… O outro lado, aos interessados, inclui bolsas de estudo para os filhos dos funcionários, promoções em várias empresas, entre outros benefícios. Legalmente, um part-time de 4 horas diárias não dá direito a pausa de almoço (isso é para quem trabalha 8h diárias), pelo que, COMO É OBVIO não deve ser constituido o hábito, mas posso dizer que se realmente necessário, nunca me foi negada uma ida à casa de banho! Quanto aos inventários, há vários modos de ver as coisas… Como uma obrigação, ou como uma forma de trabalhar horas extra (PAGAS) e deixem-me que vos diga, que tal como os domingos e feriados, as horas de inventário são pagas a dobrar. Uma questão de perspetiva.

  27. já trabalhei no continente e olhe que nem a garrafa de agua me deixavam levar … dias de muito calor, temos de estar sempre a falar com os clientes e nada de agua… quando pedia para ir a casa de banho nunca podia por isto ou aquilo e via colegas na brincadeira pra traz e pa frente… e quanto há hora de almoço tínhamos isso marcado no horário e tipo tava marcada para a 1h e nunca mais nos mandavam almoçar ate que lhe liguei e disseram que so ia qd eles vissem que dava … houve um dia que trabalhava das 10h as 17h. minha hora de almoço era as 13h… deu 14h. deu 14h30 e nada … já lhes tinha avisado e nada… chegou as 15h30 e eu voltei a ligar e disse que ainda não tinha almoçado (5h30 de trabalho seguido sem pausa alguma) e disseram que se tinham esquecido.. faltava-me apenas meia hora de trabalho e então eu disse que agora podia trabalhar essa meia hora fazia tudo seguido e saia as 16h… resposta : NAO. assim o diretor ia dar pelo erro delas mais facilmente então fui almocar cheguei as 16h30 e sai as 17h… pra já não falar nas avaliações que nos fazia… autenticas parvoíces mesmo… despedi-me como não tinha carro próprio na altura tinha de la almoçar pois nunca sabia a minha hora de almoço pois não correspondia ao horário …

  28. Infelizmente não é apenas assim no Continente, trabalhei no Pingo Doce e era igual… Fui Part-Time durante ano e meio, sempre me esforcei e dei o melhor de mim, trabalhei em folgas, troquei horários no dia anterior porque assim mo exigiam, mudam os horários de trabalho sem uma explicação e sem hipótese de dizer “NÃO POSSO VIR NESSA HORA”, horários supostamente rotativos que de rotativos não tem nada. Nunca passei a Full-Time nem nunca vi sequer hipótese disso, exploram os funcionários com condições mínimas e sem previsão de futuro .

  29. Não trabalhei em hipermercados, tenho uma historia algo parecida, infelizmente em meados de 2011 fui bafejado pelo desemprego, como tinha trabalhado numa fabrica de rações para animais, respondi a um anuncio que pedia um funcionario para um armazem de produtos agricolas, fui chamado á entrevista e fiquei selecionado, as condições eram folgas dia sim, dia não, horario das 8h30 ás 19h, salario de 485€ + 2€ de subsidio de alimentação, o salario não era grande pastilha, mas para quem ia casar dai a uns meses e já tinha compromissos, não tive grandes escolhas, o pior veio depois, a criatura que era supervisora da loja era uma criatura de origem cubana, arrogante, malcriada e com aquele feitio tipico dos ditadores que apenas sabem rebaixar e espezinhar os funcionarios, a isto se juntava uma outra funcionaria que era uma lambe-botas, daquele tipico pseudo colega de trabalho que quer subir passando por cima dos outros… passado um mes, talvez para mostrar ao patrao serviço resolveu alterar os horarios de trabalho da loja, passou a ser das 8h ás 20h, com a gravante de quando calha-se a folga ao Sabado tinha que ir para lá das 8h ás 13h… e o valor a receber ao fim dos mês, era igual… exploração autentica… o tempo para almoço eram 30m, havia que levar farnel de casa, mas não podia ser comida para aquecer, pois nas instalações não havia sequer um micro ondas para aquecer uma refeição e as mesmas tinham que ser feitas na zona das casas de banho sentados numa cadeira que não valia nada… Alem disso apesar da loja fechar ás 20H, depois ainda tinha que se contar o dinheiro da caixa e a andar a arrumar as coisas na loja, com isto lá iam mais 60m de borla e a seco… No dia da entrevista o patrão tinha dito que os bons funcionarios eram aumentados, eu fui aumentado… nas horas de trabalho… Para alem disso o terminal onde se registavam as compras estava ligado em permanencia atraves de um programa informatico, chamado teamviewer, que dava para ver tudo o que se passava no pc, a cubana estava sempre a controlar tudo a partir da sede, e qualquer coisa que se passasse estava logo a ligar e a chatear com modos arrogantes e prepotentes… Assim se promovia o bom ambiente… Até que no dia em que estava no ultimo dia do contrato experimental, a cubana foi malcriada para com a minha pessoa por causa de um docomento que foi emitido para um cliente, neste caso uma nota de credito no valor de 3€, e praticamente estava a acusar-me de ter desviado o dinheiro!!!!!! Tudo isto via telefone! Foi então que ganhei coragem e pedi a demissão naquele dia! Vim para casa todo feliz pois andar a aturar gente ordinaria e reles estava eu farto, mais ainda a lambe botas que por lá andava a meter nojo! O mais interessante foi ter recebido uma chamada passado uns dias do patrão a perguntar porque me tinha vindo embora… Foi então que disse tudo aquilo que se andava a passar nas barbas dele…

    1. em parte nós consumidores finais temos grande culpa da exploração de outros e da nossa propria exploração porque estamos sempre a procura de preços mais baixos enchemos as grandes superficies ao domingo a tarde e a noite e feriados e se podessem abrir no dia de natal tambem heveria de ir muita gente, muitas vezes a maior parte desarrumam as lojas e saem sem comprar nenhum artigo e isso gera um pouco a isto tudo e nem reparamos que involuntariamente estamos a prejudicar os outros e a nós proprios mas uns aproveitaram se e foram intelegentes em usar as leis que existem e ganham mais do que outros mas no fim com pouco ou muito dinheiro vão para o mesmo sitio do que eu só tenho pena de não poder gozar o tanto que eles gozam(das coisas boas da vida) mas as coisas boas da vida também exploramos por isso….

  30. Também trabalho num continente e não consigo concordar com tudo o que foi colocado neste post. Posso dizer que o ordenado nao e o melhor mas temos sempre a certeza que ele entra sempre certinho e a horas. Eu nao trabalho numa linha de caixas mas trabalho numa zona de frescos e nao temos ca essas restrições de usar o penteado as unhas ou a maquilhagem como eles querem. Aliás eu ja tive o meu cabelo rosa choque. E nunca ninguém embirrou comigo. ( esta senhora deve trabalhar no pior continete do pais) assim sendo se a senhora nao esta contente secalhar o melhor e dar lugar a alguém que se consiga satisfazer com o trabalho

  31. Também trabalho no continente e concordo com tudo o que foi dito. Já tive de trabalhar quase a desmaiar por estar doente, sair a horas é impossível e o base de 4h sao 252€.

  32. Infelizmente, a prática deve ser igual para qualquer cadeia de super/hipermercados. Também eu já trabalhei numa outra cadeia de supermercados e revejo a minha experiência em tudo o que foi descrito. Assim vai o mundo: os ricos cada vez mais ricos, e os pobres cada vez pobres.

  33. Isso depende de sitio para sitio eu já trabalhei num restaurante de fast food e recebia 3€ ah hora quando fazia noites pouco mais recebia (pois pk eu trabalhava até as 4 ou 6 da manha dependia se tinha de fazer o fecho, pois por cada fecho que fazia recebia 8€ quer demora-se muito ou pouco). E conheci pessoas que trabalhavam na mesma cadeia de restaurantes e como estes funcionavam por franchising eles pagavam como quisessem a marca estabelecia o minimo e o maximo e eles escolhias.
    E como se não basta-se os contratos eram a part-time e rotativos por exemplo hoje trabalhava de manhã (9h às 17h) uma hora para almoço dividindo-se em duas meias horas, e amanhã trabalhava de noite (19h às 2 ou 4h). isto assim uma semana porque na semanha seguinte podias tar a trabalhar só 4h diarias e com 2 ou 3 folgas mas estas sem ser ao fim-de-semana porque ao fim-de-semana folgas só no dia de aniversário do papa.
    Resumendo chegavas ao fim do mês sem saber se ias ter dinheiro para pagar as contas.
    e não podias ter trabalho porque era rotativo isto sim é muito mau.

  34. Tem ai certos pontos que sao normais por isso nao vejo porque tanto espanto mas realmente da que pensar. A trabalhar 20h nao podem esperar um ordenado de full time. É muito dificil ao fim de 3 contratos de 6 meses se passar logo a efetivo, normalmente é ao fim de 2 anos. Infelismente em lojas tem que se ficar depois da hora de saida, pois existem sempre tarefas que têm que ser feitas. Hoje em dia em trabalhos de atendimento ao publico, vao so pela imagem em vez da verdadeira pessoa em si , o que mais parece que vamos estar a dar o nosso corpo. Realmente ao que parece isto é uma exploração mas também existem aspetos que sao o normal hoje em dia quem qualquer empresa.

  35. Ainda se queixa do que ganha por trabalhar apenas 20h semanais. Eu já trabalhei num cinema a part-time 20h semanais e recebia o mesmo e não acho esteja mal de todo, e por vezes eram horas que nem todos querem trabalhar. Havia vezes que saia sempre mais tarde, e também já trabalhei numa loja de roupa num centro comercial part-time 5h diárias e não tinha pausa para comer, havia vezes que tambem saia mais tarde e quando é época de saldos ai nem se fala. Segundo o que sei tem que se ter uma pausa ao fim de 4h e não é por isso que me queixo.

    Acredito que haja exploração, mas infelismente é a realidade de hoje em dia e como se costuma dizer se não está satisfeita acredite que haverá quem ocupe o seu lugar e ficará satisfeito.

  36. E que tal não generalizar? Trabalhei no Continente enquanto estava na Universidade e saí de lá à cerca de 2 anos quando estava a terminar e não me revejo de todo nessas palavras.
    Levar comida para a caixa? É claro que não podes! Em qualquer local de atendimento ao público não vais estar a comer enquanto atendes pessoas!
    Sair a horas.. Em que trabalho se sai a horas mesmo? Também nunca saí a horas e era pior porque fazia o turno das 18h às 22h.. mas no recibo esse tempo contava como «horas extra» porque «picava o ponto» todos os dias, ao entrar na loja passava o cartão e ao sair também. Trabalho em dias folga normalmente essa folga era dada num outro dia e o inventário, na loja onde trabalhei, não foi obrigatório tanto que não fui. Mas na altura disseram-me que quem fosse ganhava mais 50€. O ordenado se pensares nas horas que trabalhas não é assim tão mau (eu tirava quase 350€/mês por causa das horas extra e horário noturno + domingos e feriados) tendo em conta que até pouco tempo quem trabalhava a full-time em muitos sitios ganhava 480€…
    Quanto a toda a parte da ‘formatação do corpo’ etc está mesmo relacionada com o gerente/supervisoras de loja. Em vários Continente por esse país fora há empregadas com piercings, unhas de gel, tatuagens, etc etc. Eu tenho 10 piercings e ninguém pediu para tirar ou por mais discretos.. Um rapaz que trabalhava lá já efectivo tinha uma grande crista e era todo alternativo e também não aconteceu nada. Por isso se queres queixar-te queixa-te da loja onde trabalhas e não da empresa em si. Lembra-te que muitas vezes são as pessoas que fazem cada loja e lá por na loja onde trabalhas ser assim não quer dizer que seja verdade universal.

  37. Também sou colaboradora do continente e sinceramente ainda fico incrédula com este tipo de “desabafos”. mas o povo português é mesmo assim, falam sem saber ou perceber da matéria! informem se antes de criarem este tipo de blogues. concordo em lutarem pelos direitos do trabalhador, mas temos de ter alguma consciência do que dizemos. mas pelo que vejo, só conseguem criticar as empresas e nunca vêem que regalias é que nos dão. se calhar preferem trabalhar essas 20h semanais e chegarem ao final do mês e não verem o ordenado. da maneira que o país está, é a realidade e a sonae nao se enquadra, de todo, nessa realidade.

  38. Bem,

    Após ler todos os cometários, fiquei com a seguinte ideia.
    Trabalhei a full time à 3 anos e meio atrás na Worten Mobile e de facto tive uma chefe regional excelente. Não me posso mesmo queixar.

    Sei que não é o Continente, mas pertencendo ao Grupo Sonae, penso que haja um pouco de credibilidade.

    Ora aqui vai, Salário base era na altura 505€ + subsidio nocturno + subsidio domingos e feriados. Contas arredondadas dava 700 e pico euros nos meses bons.
    Picavamos o ponto à entrada, saída para almoço, vinda do almoço e saída do turno. Todos os minutos contavam. Maior clientela na loja, ficavamos mais um pouco e ajudavamos o colega e a nós proprios com as vendas (sim, porque tinhamos objectivos de vendas…e grandes objectivos), anyway, ao final do mês o banco de horas era tirado, e era gozado, ou seja, não eram pagas, mas entravamos 1h mais tarde, ou saíamos 1h mais cedo.

    Ordenado caía certinho e sem falhas.

    Gostava do que fazia.

    Coisas que compreendo o porquê de existirem:

    Farda: T-shirt vermelha e casaco verleho para os dias frios (não sou fã de vermelho), e barba desfeita, ou pouco crescida. Não tenho pierciengs, mas não eram permitidos.
    Isto compreendo perfeitamente, pois somos a cara de uma empresa que como todas, quantos mais clientes tiver, melhor, e lidamos com pessoas de vários gostos, por isso, quanto mais genérico formos, mais agradamos ao cliente.

    Objectivos de vendas: Temos de vender, para rendermos o nosso ordenado e mais um pouco, para pagar material, transportes e diversos gastos nos produtos que vendemos. Chegava meses que tinhamos objectivos ridículos, mas somos vendedores e temos de vender.

    Horas extras: Ao fazer a limpeza da loja (abertura e fecho), picavamos à hora certa e depois faziamos a limpeza. Ou seja, quem fazia fecho, picava o ponto, fechava a caixa, fechava a grade, contava o dinheiro, levava o dinheiro ao cofre do Continente, e esperava como toda a gente, recolhia o lixo, ia despejar o balde da esfregona, e encher com água, para os da manhã limparem a loja, e ia para casa. Tomava cerca de 30minutos este processo. às vezes mais.
    O da manhã, fazia mais ou menos o processo inverso.

    Inventários. Era a quem calhava. Uma vez cada um e tinhamos de estar disponivel. Não havia bónus, se bem me lembro.

    Coisas que fazem certos tipos de abuso acontecerem.
    Pessoas que foram abusadas, tornam-se chefes e abusam (quase como a praxe).
    A concorrência, que para os consumidores é muito bom, porque baixam os preços, mas para os produtores é mau…há-de haver o tempo em que a bolha rebente.

    Como disse, no continente não tenho experiência alguma, tenho amigos que trabalham lá e comentam sobre isso, mas não posso falar por eles.

    Saí da Worten Mobile há 4 anso atrás, 10 meses desempregado e estou numa empresa num ramo completamente diferente ( transportes) com horário 9 – 18h que nunca cumprimos, fins de semana não trabalhamos e no entanto hoje é sabado e cá estou eu.
    Não, não vou receber mais por isso. Ao fim de 3 anos, o salário é um pouco melhor que o da Worten Mobile, mas ao inicio parecia que tinha ido de cavalo para burros. Para mim, pouco sempre é melhor que nada, e tive confiança que ia melhorar.

    Ordenado cai certinho, e não me posso queixar dos meus patrões. Tive sorte? Sim, muita, mas luto todos os dias para continuar a ser bafejado por essa sorte. Sai-me do corpo. Vida própria, muito pouca e a mulher queixa-se disso.

    Por norma entro no escritório às 08:00 e saio por volta das 19h- 20h. No bullshit.

    Desculpem lá o longo comentário e a experiência de vida contada, mas um conselho a todos, e em especial a quem começou o blog. Está nessa situação, não custa averiguar ou procurar por melhores condiçoes, dentro ou fora da área, mesmo enquanto trabalhas no Continente. Infelizmente, tu como muitas outras pessoas és vítima da sociedade. O dinheiro faz falta, por isso tenta procurar às vezes até dentro do mesmo grupo outras oportunidades, não é facil e uma pessoa acomoda-se mas tenta. Pode ser que encontres a ganhar 10€ menos, mas teres a hipótese de um tempo mais tarde poderes subir na carreira e estares mais confortável. Nunca se sabe. O importante é não desistir e conhecer pessoas. Um dia, pode ser uma delas que te dê um trabalho que gostes e te sintas bem.

    PS: Não fui à faculdade, mas conheço muitas por dentro, tenho o 12º ano (Técnico de Manutenção Industrial e Electromecânica) e gosto daquilo que faço actualmente. ah e parem com as correcções à gramática. Se uma pessoa não pode escrever um “concelho”, quando quiser aconselhar, o que poderemos então nós fazer?

Deixe o seu comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s