Rio, Portas e Assis

1 3 dummy

Esta entrevista de Francisco Assis é premonitória. Com Paulo Portas – que amanhã estará no Parlamento para meter a mão na fossa dos vistos Gold – e Rui Rio, a quem tantas loas canta, está desenhado um dos cenários pós-eleitorais na eventualidade de António Costa não ter maioria absoluta (ou relativa com os votos do Livre ou do Marinho Pinto). Assim, o próximo ciclo eleitoral está perdido à partida, sobretudo se não houver novidades de maior envergadura. Se não governar sozinho, António Costa tem, à esquerda e à direita, quem esteja disposto a dar-lhe o poder absoluto, mesmo que o povo não esteja disposto a dar-lhe mais do que uma maioria relativa. Sobre a representatividade do sistema democrático estamos conversados.

3 thoughts on “Rio, Portas e Assis

    1. Onde quer que as pessoas decidam sem o espelho retorcido das urnas. Em suma, fora do sistema. Em todo o caso não deve haver muitos países onde as maiorias relativas com tanta facilidade resolvem os problemas com pouco mais que um queijo.

Deixe o seu comentário.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s